A revisão por pares na ciência

limites e possibilidades da prática científica à luz da teoria dos campos de Bourdieu

Autores

  • Claudio Silva Instituto Federal de Brasília (IFB), Brasília, Brasil, claudio.silva@ifb.edu.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v24.67016

Palavras-chave:

Revisão por pares, Ciência, Ontogênese Intelectual

Resumo

Este trabalho tem o objetivo de promover uma reflexão sobre a revisão por pares na ciência, à luz das contribuições da sociologia de Bourdieu,a fim de se perceber os efeitos pedagógicos desse processo para o desenvolvimento intelectual do pesquisador. A partir dos conceitos encontrados na teoria dos campos de Bourdieu, apresenta os elementos que fazem da revisão por pares um microcosmo das práticas científicas mais amplas e as estratégias que os agentes encontram para converter esse processo em um espaço de aprendizagem e desenvolvimento. A discussão revelou que a revisão por pares é um lugar que, além de ocorrer a luta pelo monopólio da autoridade científica, é um espaço para a aprendizagem do modos operandi da ciência. Para o pesquisador, trata-se de uma excelente oportunidade para compreender os diferentes processos que faz da ciência um espaço de lutas e disputas. Conclui apresentando o conceito de ontogênese intelectual, tomando-o como categoria explicativa das experiências de aprendizagem na ciência, mas também como resultado das contradições do processo de acumulação de prestígio nos campos científicos, resultante da distribuição desigual do reconhecimento da autoridade científica entre pesquisadores. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BJÖRK B.C.; P. CATANI. Peer review in megajournals with traditional scholarly journals: does it make a difference? Learned Publishing. v. 29, p. 9-12, 2016.

BRAMBILLA, S. D. S. et al. Interfaces entre os campos da comunicação e da informação. Comunicação & Informação, v. 10, n. 2, p. 21-33, ago. 2010.

BOURDIEU, P. Homo academicus. Buenos Aires: Siglo XXI, 2008.

BOURDIEU, P. O campo científico (Le champ scientifique). Actes de la Recherche en Sciences Sociales, v. 2, n. 3, p. 84–104, 1976.

BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: UNESP, 2004.

BOURDIEU, P. Razones prácticas. Barcelona: Anagrama, 1997.

CAÑO, A.; LUNA, F. PISA: competência científica para el mundo del mañana. Bilbao: ISEI.IVEI, 2011. .

CATANI, A. M. A sociologia de Pierre Bourdieu (ou como um autor se torna indispensável ao nosso regime de leituras). Educação & Sociedade, v. 23, n. 78, p. 57–75, 2002.

CUNHA, M. I. da. Políticas públicas e docência na universidade: novas configurações e possíveis alternativas. Revista Portuguesa de Educação, v. 16, n. 2, p. 45–68, 2003.

FOX, C. W.; BURNS, C. S.; MEYER, J. A. Editor and reviewer gender influence the peer review process but not peer review outcomes at an ecology journal. Functional Ecology, v. 30, p. 140–153, 2016. Disponível em: https://besjournals.onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1111/1365-2435.12529. Acesso em: 19 ago. 2020.

HORROBIN, D. F. The philosophical basis of peer review and the suppression of innovation. JAMA: the journal of the American Medical Association, v. 263, n. 10, p. 1438–1441, 1990.

MARTÍNEZ, G. S. La revisión por pares y la selección de artículos para publicación. Revista Colombiana de Psicologia, v. 21, n. 1, p. 27–35, 2012.

MATURANA, H.; VARELA, F. A árvore do conhecimento. São Paulo: Workshopsy, 1995.

NIELSEN, K. H. Scientific Communication and the Nature of Science. Science & Education, 2012.

PETERS, G. A ciência como sublimação: o desafio da objetividade na sociologia reflexiva de Pierre Bourdieu. Sociologias, v. 19, n. 45, p. 336–369, ago. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1517-45222017000200336&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 19 ago. 2020.

PINE, D. S. Editorial: The difficulties and privileges of the editor. Journal of Child Psychology and Psychiatry and Allied Disciplines, v. 49, n. 9, p. 897–899, 2008.

RIBEIRO, M. T. R. O espaço dos possíveis, de Pierre Bourdieu. Ciências Sociais Unisinos, v. 50, n. 2, 2014.

SERRA, F. a. R.; FIATES, G. G.; FERREIRA, M. P. Publicar é difícil ou faltam competências? O desafio de pesquisar e publicar em revistas científicas na visão de editores e revisores internacionais. RAM, v. 9, n. 4, p. 32–55, 2008.

SILVA, C. N. N. da. Ontogênese intelectual: o potencial pedagógico da revisão por pares no desenvolvimento da competência científica de pesquisadores em diferentes áreas do conhecimento. 2016. 165 f.l. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Universidade de Brasília, Brasília, 2016. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/21015. Acesso em: 1 dez. 2020.

VERMEIJ, G. J. J. Biosci, v. 27, n. 5, 2002. Disponível em: https://www.ias.ac.in/article/fulltext/jbsc/027/05/0451-0452. Acesso em 15 nov. 2020.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

SILVA, C. A revisão por pares na ciência: limites e possibilidades da prática científica à luz da teoria dos campos de Bourdieu. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 24, 2021. DOI: 10.5216/ci.v24.67016. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/67016. Acesso em: 22 maio. 2022.