Grupos focais online na pesquisa em comunicação

questões metodológicas iniciais a partir de uma experiência prática

Autores

  • Luís Mauro Sá Martino Faculdade Casper Líbero (FCL), São Paulo, Brasil, lmsamartino@gmail.com
  • Silvia Lúcia Pereira Duarte Faculdade Casper Líbero (FCL), São Paulo, Brasil, silvialpduarte@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v24.66657

Palavras-chave:

Grupos Focais Online, Pesquisa em Comunicação, Metodologia

Resumo

Este artigo delineia algumas das condições e limites da realização de grupos focais no ambiente digital, tomando como objeto empírico seis encontros realizados entre abril e junho de 2020. Parte de uma pesquisa sobre as mídias digitais do Exército Brasileiro, foram realizados virtualmente devido à pandemia de COVID-19. A partir dessa experiência empírica, foram observadas três características principais da realização dos grupos focais online: (1) houve uma perda parcial nas interações, decorrentes da mudança de um espaço físico para a mediação das telas, (2) a atividade da mediadora foi parcialmente dificultada pela diferença de ambiente; ao mesmo tempo (3) foi possível observar maior facilidade na reunião das pessoas e condução das atividades. Essas questões são exploradas a partir de uma perspectiva metodológica em intersecção com questões epistemológicas da Comunicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Mauro Sá Martino, Faculdade Casper Líbero (FCL), São Paulo, Brasil, lmsamartino@gmail.com

Pós-Doutorado na School of Political, Social and International Studies na University of East Anglia, na Inglaterra, Doutor em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professor do Programa de Mestrado em Comunicação da Faculdade Casper Líbero (FCL), São Paulo, Brasil. 

Silvia Lúcia Pereira Duarte, Faculdade Casper Líbero (FCL), São Paulo, Brasil, silvialpduarte@gmail.com

Relações Públicas. Mestranda em Comunicação na Faculdade Cásper Líbero

Referências

DIAS em 60 segundos. [S. l. : s. n.], 2020. 1 vídeo (2 min.). Publicado pelo canal Comando Militar do Sudeste. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=e8k3lFTwiXM. Consulta em 16 nov. 2020.

ABREU, Nelsio R.; BALDANZA, Renata F.; GONDIM, Sônia M. G. Os grupos focais online: das reflexões conceituais à aplicação em ambiente virtual. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação, v. 6, n. 1, p. 5-24, 2009.

BIRDWHISTELL, Ray. Kinesics and context. Pennsylvania: UPP, 1970.

BORDINI, Gabriela; SPERB, Tania. O uso dos grupos focais online síncronos em pesquisa qualitativa. Psicologia em Estudo, v. 16, n. 3, jul./set. p. 437 – 445, 2011.

BORGES, Camila D.; SANTOS, Manoel A. Aplicações da técnica do grupo focal: fundamentos, potencialidades e limites. Revista SPAGESP, v. 6, n. 1, p. 74-80, 2005.

BYERS, Peggy Y.; WILCOX, James R. Focus groups: a qualitative opportunity for researchers. The Journal ofBusiness Communication, v. 28, n. l, p. 63-78, 1991.

COMPAÑS, Lorena. Aproximaciones teórico-epistemológicas al problema del método. La Trama de la Comunicación, v. 14, n. 1, p. 13-28, 2009.

DUARTE, Adriana B. S. Grupo focal online e offline como técnica de coleta de dados. Informação & Sociedade, v. 17, n.1, p. 75-85, jan-abr. 2007.

DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio. Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

FARIA, Aline M.; OLIVEIRA Jr, Moacir M. Grupos de foco online assíncronos: uma breve reflexão sobre sua aplicação. Economia e Gestão, v. 19, n. 54, p. 194-202, set./dez. 2019.

FERRARA, Lucrécia D’A. A comunicação que não vemos. São Paulo: Paulus, 2018.

FIFE, Eric. A Focus Group Activity for the Research Methods Class. Communication Teacher, v. 19, n. 1, p. 9–12, jan. 2005.

GALEGO, Carla; GOMES, Alberto. Emancipação, ruptura e inovação: o “focus groups” como instrumento de investigação. Revista Lusófona de Educácão, v. 5, p. 173 – 184, 2005.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 1985.

GOFFMAN, Erving. Forms of talk. Pensilvania University Press, 1981.

KIND, Luciana. Notas para o trabalho com a técnica de grupos focais. Psicologia em Revista, v.10, n.15, p. 124-136, jun. 2004.

KITZINGER, Jenny. “The methodology of focus groups: the importance of interaction between research participants”. Sociology of Health and Illness, v. 16, n. 1, p. 103-121, 1994.

LETELIER, Lilian. Entre os grupos de conversação (group discussion) e as intervenções focalizadas (focus groups): notas metodológicas. Política e Trabalho, n. 12, p. 164-174, set. 1996,.

LUNT, Peter; LIVINGSTONE, Sonia. Rethinking the focus groups in media and communication research. Journal of Communication, v. 46, n. 2, p.79-98, 1996.

MARTINO, Luís Mauro Sá. Métodos de pesquisa em comunicação. Petrópolis: Vozes, 2018.

MARQUES, A. C. S.; MARTINO, L. M. S. Afetividades e vulnerabilidades na relação pesquisador/sujeito pesquisado. In: KUNSCH, Dimas; DIAS, Everton; PASSOS, Mateus. A compreensão como método. São Paulo: UniEditora, 2017. p. 37-51.

MARQUES, Ângela Cristina Salgueiro; ROCHA, Simone Maria. A política a partir das margens: a produção discursiva sobre o Bolsa-Família em grupos de discussão. Famecos, n. 32, p.105-117, abr. 2007.

MENSAGEM do Comandante. [S. l. : s. n.], 2020. 1 vídeo (2 min.). Publicado pelo canal Comando Militar do Sudeste. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=1NE6ML8m_44. Acesso em: 16 nov. 2020.

MERTON, Robert. The focussed interview and focus groups : continuities and discontinuities. Public Opinion Quarterly, v. 51, n. 4, p.550-566, 1987.

MEYERS, Greg. Enabling talk: How the facilitator shapes a focus group. Text & Talk, v. 27, n. 1, p. 79–105, 2007.

MORGAN, David. Focus Groups as qualitative research. London: Sage, 1997.

NELSON, James E.; FRONTCZAK, Nancy T. How Acquaintanceship and Analyst Can Influence Focus Group Results. Journal of Advertising, v. 17, n. 1, p. 41- 48, 1988.

NOBREGA, Danielle O., ANDRADE, Erika dos R. G.; MELO, Elda S. N. Psicologia e Sociedade, v.28, n. 3, 2016.

OPERAÇÃO Covid-19. [S. l. : s. n.], 2020. 1 vídeo (2 min.). Publicado pelo canal Comando Militar do Sudeste. Disponível em: http://www.cmse.eb.mil.br/ccse/index.php. Acesso em: 16 nov. 2020.

PUCHTA, Claudia; POTTER, Jonathan. Focus groups and the management of spontaneity. Journal of Sociolinguistics, v. 3, n. 3, 1999.

QUIBLE, Zane K. A focus on focus groups. Business Communication Ouarteriy, v. 61, n. 2, p. 28-58, jun. 1998.

SCHRÖEDER, Christine S.; KLERING, Luís R. Online focus group: uma possibilidade para a pesquisa qualitativa em administração. Cadernos Ebape/FGV, v. 7, n. 2, p. 333-348, jun. 2009.

SIGNATES, Luiz. Epistemologia e comunicabilidade: a crise das ciências ante a perspectiva de centralidade do conceito de comunicação. Comunicação e Informação, v. 15, n. 2, p. 133-148, 2012.

SOUTHWELL, Brian; BLAKE, Stephanie; TORRES, Alicia. Lessons on Focus Group Methodology from a Science Television News Project. Technical Communication, v. 52, n. 2, p. 187-193, maio 2005.

ZORN, Theodore et al. Focus Groups as Sites of Influential Interaction. Journal of Applied Communication Research, v. 34, n. 2, p. 115-140, maio 2006.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

MARTINO, L. M. S.; DUARTE, S. L. P. . Grupos focais online na pesquisa em comunicação: questões metodológicas iniciais a partir de uma experiência prática. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 24, 2021. DOI: 10.5216/ci.v24.66657. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/66657. Acesso em: 22 maio. 2022.