O uso do corretor automático vinculado ao aplicativo Whatsapp na escrita de jovens estudantes

Autores

  • Vanina Sigrist Faculdades de Tecnologia do Estado de São Paulo (FATEC), Baixada Santista, SP, Brasil, vanina.sigrist01@fatec.sp.gov.br
  • Eliude Felizindo Faculdades de Tecnologia do Estado de São Paulo (FATEC), Baixada Santista, SP, Brasil, eliudefelizindo@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v24.62456

Resumo

O tema da comunicação pelas redes sociais é analisado neste estudo sob a ótica da correção gramatical automática do Português Brasileiro (PB) pelo aplicativo WhatsApp. O objetivo é verificar se os recursos de correção e substituição automática disponíveis no aplicativo interferem no domínio da norma culta de jovens estudantes dos Ensinos Médio e Superior. A pesquisa é de natureza aplicada, com abordagem exploratória e qualitativa, envolvendo pesquisa de campo junto a usuários do WhatsApp contextualizados em instituições de ensino estaduais localizadas em Santos (SP). As etapas da pesquisa são: realização de um Teste de Correção Gramatical (TCG) composto por 50 sentenças redigidas em PB; preenchimento de um formulário eletrônico estruturado na escala Likert; e participação em um tópico conversacional semi-induzido sem mediação de rede social (para o grupo de controle) e com mediação (para o grupo experimental). Pode-se concluir, após tal levantamento e tratamento de dados, que a maioria dos participantes apresenta desvios generalizados da norma culta em sua escrita, impróprios à fase de escolarização em que se encontram; que há uma clara cisão entre eles, uma vez que demonstram opiniões contrárias quanto à necessidade do uso e à influência do corretor automático como facilitador do emprego da norma culta; e certa diminuição da ocorrência de três tipos de desvios quando o recurso da autocorreção estava acionado, concomitante ao aumento da ocorrência dos outros quatro tipos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALENCAR, L. F. Técnicas em software livre para exploração de corpora do português livremente disponíveis na WWW. Veredas On-Line, Juiz de Fora, v. 2, p.134-150, 2009. Disponível em: https://www.ufjf.br/revistaveredas/files/2009/11/ARTIGO-Leonel-Figueiredo-de-Alencar.pdf . Acesso em: 28 abr. 2019.

ARAÚJO, E. M. E.; DIAS, I. S. O domínio da norma culta da língua portuguesa como determinante de inclusão/exclusão no mundo do trabalho. Revista Políticas Públicas, São Luís, v. 18, n. 1, p. 255-268, jan./jun. 2014. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rppublica/article/download/2760/3895 Acesso em: 15 maio 2019.

BAGNO, M. Nada na língua é por acaso: ciência e senso comum na educação em língua materna. Revista Presença Pedagógica, 2006. Disponível em: http://relin.letras.ufmg.br/shlee/Bagno_2006.pdf. Acesso em: 5 maio 2019.

BOUHNIK, D.; DESHEN, M. WhatsApp goes to school: mobile instant messaging between teachers and students. Journal of Information Technology Education, v. 13, p. 217-231, 2014. Disponível em: http://www.jite.org/documents/Vol13/JITEv13ResearchP217-231Bouhnik0601.pdf. Acesso em: 28 abr. 2019.

CHURCH, K.; OLIVEIRA, R. What's up with whatsapp? Comparing mobile instant messaging behaviors with traditional SMS. Mobile HCI, Munich, p. 352-361, 2013. Disponível em: https://www.ic.unicamp.br/~oliveira/doc/MHCI2013_Whats-up-with-whatsapp.pdf. Acesso em: 20 nov. 2018.

ECO, U. Apocalípticos e integrados. São Paulo: Perspectiva, 2015.

GRÉGIS, R. A. Testes de julgamento gramatical em pesquisas de aquisição de segunda língua. 2007. 240 f. Tese (Doutorado em Letras) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

LANIER, J. Dez argumentos para você deletar agora sua redes sociais. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2018.

LUCCHESI, D. Introdução. In: LUCCHESI, D.; BAXTER, A.; RIBEIRO, I. (org.). O português afro-brasileiro. Salvador: EDUFBA, 2009, p. 27-37. Disponível em: http://books.scielo.org/id/p5/pdf/lucchesi-9788523208752-03.pdf. Acesso em: 28 abr. 2019.

MANJOO, F. How your cell phone’s autocorrect software works, and why it’s getting better. Slate, [S. l.], 2010. Disponível em: https://slate.com/technology/2010/07/how-your-cell-phone-s-autocorrect-software-works-and-why-it-s-getting-better.html. Acesso em: 11 maio 2019.

MCLUHAN, M. Os meios de comunicação como extensões do homem. São Paulo: Cultrix, 1964.

NUMBER of Facebook users in Brazil from 2017 to 2023. Statista.com, New York, 2019. Disponível em: https://www.statista.com/statistics/244936/number-of-facebook-users-in-brazil/. Acesso em: 13 out. 2019.

NUNES, M. G. V.; OLIVEIRA JR, O. N. O processo de desenvolvimento do revisor gramatical ReGra. Núcleo Interinstitucional de Lingüística Computacional, São Carlos, SP, 2000. Disponível em: http://www.niee.ufrgs.br/eventos/SBC/2000/pdf/semish/semi001.pdf. Acesso em: 12 ago. 2019.

PEREIRA, S. L. Processamento de linguagem natural. São Paulo: USP, 2011. Disponível em: https://www.ime.usp.br/~slago/IA-pln.pdf. Acesso em: 28 abr. 2019.

PITTOL, E.; RIGO, S. J. Certografia: um corretor ortográfico automático para português e resultados de um estudo de caso aplicado na área jurídica. Revista Brasileira de Computação Aplicada, Passo Fundo, v. 7, n. 3, p. 31-42, out. 2015. Disponível em: http://seer.upf.br/index.php/rbca/article/view/3776/3508. Acesso em: 25 jul. 2018.

RAMBE, P; CHIPUNZA, C. Using mobile devices to leverage student access to collaboratively-generated resources: a case of whatsapp instant messaging at a South African University. INTERNATIONAL CONFERENCE ON ADVANCED INFORMATION AND COMMUNICATION TECHNOLOGY FOR EDUCATION., Hainan, China. [Proceedings…]. Hainan, China: Atlantis Press, 2013. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/266645202_Using_mobile_devices_to_leverage_student_access_to_collaboratively-generated_resources_A_case_of_WhatsApp_instant_messaging_at_a_South_African_University. Acesso em: 29 nov. 2019.

RIEMENS, N. De directe invloed van whatsapp op schrijfvaardigheid. BA thesis, Radboud University, 2016.

SABE como funciona o corretor ortográfico do seu smartphone? Agência Trato, Rio de Janeiro, 27 dez. 2018. Disponível em: http://agenciatrato.com.br/blog/sabe-como-funciona-o-corretor-ortografico-do-seu-smartphone/. Acesso em: 13 dez. 2019.

SERRES, M. O contrato natural. Lisboa: Instituto Piaget, 1994.

SINGH, A. Facebook, WhatsApp, and Twitter: Journey towardsEducation. SOSHUM, v. 8, n.2, 2018. Disponível em: ojs.pnb.ac.id/index.php/SOSHUM/article/download/987/799/. Acesso em: 28 abr. 2019.

SOUZA, J. M.; QUIRINO, M. P. C. Reflexões sobre tecnologias móveis: construindo um ambiente de aprendizagem centrado na “geração polegar”. Revista Saberes, ano 2, n. 2, v. 1, p.90-102, jan./abr. 2015. Disponível em: https://www.faculdadeages.com.br/uniages/revista-saberes-no-2-faca-o-download/. Acesso em: 28 abr. 2019.

TEZZA, C. Material didático – um depoimento. Educar, Curitiba, n. 20, p. 35-42, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/B4J8wqGbFsHSqCf3qkF7TSG/?lang=pt&format=pdf . Acesso em 29 nov. 2019.

UEBERWASSER, S.; STARK, E. What’s up, Switzerland? A corpus-based research project in a multilingual country. Linguistik Online, v. 84, n. 5, p.105-126, 2017. Disponível em: https://bop.unibe.ch/linguistik-online/article/view/3849/5833. Acesso em: 10 ago. 2019.

VERHEIJEN, L.; SPOOREN, W. The impact of whatsapp on dutch youths’ school writing. CONFERENCE ON CMC AND SOCIAL MEDIA CORPORA FOR THE HUMANITIES, 5., Italy. [Proceedings…]. Bolzano, Italy: Eurac Research, 2017. P. 6-10. Disponível em: https://repository.ubn.ru.nl/bitstream/handle/2066/177272/177272.pdf. Acesso em: 10 jul. 2019.

VITÓRIA, M. I. C.; CHRISTOFOLI, M. C. P. A escrita no ensino superior. Educação Santa Maria, v. 38, n. 1, p. 41-54, jan./abr. 2013. Disponível em:

http://repositorio.pucrs.br/dspace/bitstream/10923/8741/2/A_escrita_no_Ensino_Superior.pdf. Acesso em 29 nov. 2019.

WEISSHEIMER, J.; CALDAS, V.; MARQUES,F. Using Whatsapp to develop L2 oral production. Revista Leitura, v. 1, nº 60, Maceió, p. 21-38, Jan./Jun. 2018. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/revistaleitura/article/view/4208. Acesso em 28 abr. 2019.

Downloads

Publicado

02-08-2021

Como Citar

SIGRIST, V.; FELIZINDO, E. O uso do corretor automático vinculado ao aplicativo Whatsapp na escrita de jovens estudantes. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 24, 2021. DOI: 10.5216/ci.v24.62456. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/62456. Acesso em: 17 out. 2021.