LUCIO FLÁVIO, O PASSAGEIRO DA AGONIA, de Hector Babenco

Autores

  • Lisandro Nogueira Universidade Federal de Goiás (UFG)

DOI:

https://doi.org/10.5216/c&i.v7i2.24401

Palavras-chave:

Cinema e jornalismo. Filmes de jornalista. Jornalista. Filme brasileiro.

Resumo

A representação do jornalista nos filmes brasileiros dos anos 60 difere dos newpapers movies americanos da época. Nos filmes Boca de Ouro (62), O desafío(65) e Terra em Transe (67) o jornalista não é herói e nem vilão, descartando-se o melodrama como estratégia narrativa. A partir dos anos 70, esse olhar crítico se esvai e ganha corpo o filme dejornalista atrelado ao modelo americano. Lúcio Flávio, o passageiro da agonia é exemplo de uma nova maneira de representar o jornalista no cinema brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lisandro Nogueira, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Prof. Dr. do Curso de Comunicação da UFG.

Downloads

Publicado

2013-05-29

Como Citar

NOGUEIRA, L. LUCIO FLÁVIO, O PASSAGEIRO DA AGONIA, de Hector Babenco. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 7, n. 2, p. 212–217, 2013. DOI: 10.5216/c&i.v7i2.24401. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/24401. Acesso em: 24 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos