Corpo, desejo e erotismo na narrativa da série de TV: Mandrake

Autores

  • Tânia Montoro Universidade de Brasília (UnB)
  • Carolina Dumaresq Universidade de Brasília (UnB)

DOI:

https://doi.org/10.5216/c&i.v14i2.22478

Palavras-chave:

Televisão. Identidade de Gênero. Corpo. Audiovisual. Television. Gender Identity. Body. Audiovisual.

Resumo

Resumo

Este trabalho utiliza-se do referencial teórico dos estudos culturais, da teoria das representações sociais e da crítica feminista para analisar, sob a perspectiva dos estudos de  gênero, a série televisão  Mandrake, exibida no Brasil pelo canal HBO, nos anos de 2005 e 2007, com reprise em 2010. Investiga os significados atribuídos aos corpos masculinos e femininos que conformam identidades de gênero. A análise considerou elementos da gramática audiovisual como enquadramentos, ponto de vista; movimentos de câmera  e construção de personagens. Verifica-se a existência de um olhar patriarcal, reforçando estereótipos de gênero  e formas de estigmas acoplados ao desejo e consumo dos corpos femininos e masculinos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tânia Montoro, Universidade de Brasília (UnB)

Doutora em Comunicação Audiovisual pela Universidade Autônoma de Barcelona com pós-doutorado em cinema na UFRJ. Professora e Pesquisadora do Programa de Pós – graduação da Faculdade de Comunicação e do Centro de Excelência em Turismo da UnB.

Carolina Dumaresq, Universidade de Brasília (UnB)

Jornalista e mestre em Comunicação ( linha imagem e som) pela UnB.

Downloads

Publicado

27-12-2011

Como Citar

MONTORO, T.; DUMARESQ, C. Corpo, desejo e erotismo na narrativa da série de TV: Mandrake. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 14, n. 2, p. 214–227, 2011. DOI: 10.5216/c&i.v14i2.22478. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/22478. Acesso em: 22 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos