ANÁLISE HISTOLÓGICA, HISTOQUÍMICA E ULTRAESTRUTURAL DA MUSCULATURA DORSAL E VENTRAL DO GUARU (Poecilia vivipara BLOCHI & SCHNEIDER, 1801)

Autores

  • Ana Paula Rezende dos Santos Universidade Federal de Goiás
  • Joana Cristina Neves de Menezes Faria Universidade Federal de Goiás
  • Simone Maria Teixeira de Sabóia-Morais Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v11i4.6910

Palavras-chave:

histoquímica, musculatura dorsal e ventral, Poecilia vivipara, tipos de fibras musculares estriadas, ultra-estrutura.

Resumo

Poecilia vivipara (guaru), peixe neotropical de pequeno porte, eurialino, tem sido usado como biomonitor. Analisou-se a musculatura dorsal e ventral do guaru, a fim de se padronizar metodologias para avaliação da estrutura normal deste tecido, com a perspectiva de que sejam usados em estudos de toxicidade. Para tanto, realizaram-se fixações químicas e físicas, que visaram procedimentos histológicos e histoquímicos de coloração e reação. Os métodos H.E. e TM evidenciaram a organização das FMEE, com feixes musculares epiaxial e hipaxial e conjuntivo associado. O AM marcou as FMEE e facilitou a observação dos sarcômeros com a presença de uma fina faixa corada metacromaticamente. Parte das FMEE foi PAS positiva e amilase reativa, indicando a distribuição de glicogênio entre as fibras. Na presença do SBB, as fibras foram reativas, principalmente na região dorsal, indicando a presença de lipídeos. Na SDH pH 10,5 detectou-se presença de células com citoplasma rico em enzimas mitocondriais. As FMEE coradas com AT apresentaram-se organizadas em faixas transversais alternadas, que correspondem ao padrão visualizado ao MET. O uso destas metodologias permitiu indicar a musculatura do guaru como um instrumento para estudos de variações ambientais, visto que sua estrutura normal é padrão nos teleósteos.

PALAVRAS-CHAVES: Fibra muscular, morfologia, peixe neotropical.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Rezende dos Santos, Universidade Federal de Goiás

Possui graduação em Ciências Biológicas, é mestranda em biologia celular e molecular, pela Universidade Federal de Goiás, e realiza pesquisas junto ao Laboratório de Comportamento Celular (ICB/UFG)

Joana Cristina Neves de Menezes Faria, Universidade Federal de Goiás

Graduada em Ciências Biológica licenciatura, pela Universidade Federal de Goiás, Mestre em Biologia Celular e Molecular pela mesma instituição e professora substituta de Biologia Celular e Histologia do Instituto de Ciências Biológicas da UFG

Simone Maria Teixeira de Sabóia-Morais, Universidade Federal de Goiás

possui graduação em Ciências Biológicas Licenciatura em Biologia pela Universidade Federal de Pernambuco (1986), graduação em Ciências Biológicas Bacharelado em Biologia pela Universidade Federal de Pernambuco (1987), mestrado em Ciências (Biologia Celular e Tecidual) pela Universidade de São Paulo (1992) e doutorado em Ciências (Biologia Celular e Tecidual) pela Universidade de São Paulo (1997). Faz parte do quadro de docentes do Programa de Pós-Graduação em Biologia - Área de Concentração: Biologia Celular. Desenvolve atividades de ensino e pesquisa em Popularização da Ciência pelo NETESB (Núcleo de Estudos em Tecnologias para Socialização do conhecimento em Biologia). Atualmente é professor Associado II da Universidade Federal de Goiás. Tem experiência na área de Morfologia, com ênfase em Ensino de graduação e Pós-graduação, Comportamento Celular, atuando principalmente nos seguintes temas: ecotoxicologia, biologia celular, biologia do desenvolvimento, comportamento celular, morfometria e histoquímica.

Downloads

Publicado

2010-12-21

Como Citar

SANTOS, A. P. R. dos; FARIA, J. C. N. de M.; SABÓIA-MORAIS, S. M. T. de. ANÁLISE HISTOLÓGICA, HISTOQUÍMICA E ULTRAESTRUTURAL DA MUSCULATURA DORSAL E VENTRAL DO GUARU (Poecilia vivipara BLOCHI & SCHNEIDER, 1801). Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 11, n. 4, p. 906–913, 2010. DOI: 10.5216/cab.v11i4.6910. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/6910. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária