INFLUÊNCIA DA REFRIGERAÇÃO NA PRESERVAÇÃO DO NÚMERO TOTAL DE HEMÓCITOS DE CAMARÕES MARINHOS Litopenaeus vannamei CULTIVADOS UTILIZANDO-SE CITRATO DE SÓDIO

Autores

  • Andrea C. Gomes Barretto UFRPE
  • Lilian M.N. de Barros Góes
  • Dulcilene Lacerda do Nascimento
  • Paulo de Paula Mendes UFRPE
  • Eneida Wilcox Rêgo
  • Emiko Shinozaki Mendes

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v13i4.5647

Palavras-chave:

hemolinfa, anticoagulante, camarão, refrigeração

Resumo

Para a realização de contagens de células sanguíneas, faz-se necessário o uso de anticoagulantes e, no caso específico da hemolinfa de camarões, ainda não há uma solução padrão para que não ocorra a coagulação. Emprega-se frequentemente o citrato de sódio como anticoagulante, uma vez que foi verificada a sua eficácia na preservação dos hemócitos de camarões marinhos Litopenaeus vannamei. Em 140 amostras de hemolinfa com citrato de sódio (10%), na proporção de 1:1, coletadas em dois ciclos de cultivo, no período seco e no chuvoso, realizaram-se CTH imediatamente após a coleta e após um período de armazenamento sob-refrigeração. Todos os dados obtidos foram analisados utilizando-se as técnicas de modelagens matemáticas (P < 0,05). Observou-se que, após o armazenamento sob refrigeração, o número de células diminuiu consideravelmente, podendo-se concluir que o anticoagulante citrato de sódio somente preserva adequadamente a hemolinfa do camarão Litopenaeus vannamei para a CTH realizada imediatamente após a coleta.
PALAVRAS-CHAVE: anticoagulante; camarão; hemolinfa; refrigeração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea C. Gomes Barretto, UFRPE

Departamento de Medicina Veterinária

Laboratório de sanidade dos animais aquáticos

Downloads

Publicado

2012-12-14

Como Citar

BARRETTO, A. C. G.; GÓES, L. M. de B.; NASCIMENTO, D. L. do; MENDES, P. de P.; RÊGO, E. W.; MENDES, E. S. INFLUÊNCIA DA REFRIGERAÇÃO NA PRESERVAÇÃO DO NÚMERO TOTAL DE HEMÓCITOS DE CAMARÕES MARINHOS Litopenaeus vannamei CULTIVADOS UTILIZANDO-SE CITRATO DE SÓDIO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 13, n. 4, p. 520–524, 2012. DOI: 10.5216/cab.v13i4.5647. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/5647. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária