PERFIL DE SENSIBILIDADE A ANTIMICROBIANOS POR COMPONENTES DA MICROBIOTA BACTERIANA ORAL E RETAL DE PRIMATAS NÃO HUMANOS

Autores

Resumo

Os objetivos desta pesquisa foram identificar bactérias isoladas da cavidade oral e da ampola retal de Saimiri collinsi e Callithrix jacchus e determinar a sensibilidade a 16 antimicrobianos. Trinta indivíduos de cada espécie foram analisados e foram isoladas 136 bactérias em C. jacchus e 84 em S. collinsi. As bactérias isoladas em maior número em S. collinsi foram Klebsiella pneumoniaeEscherichia coliEnterobacter cloacaeRaoutella ornithinolyticaStaphylococcus xylosus e Proteus mirabilis. As bactérias isoladas em C. jacchus foram K. pneumoniaeE. cloacaeE. coliSerratia marcescens e S. xylosus na cavidade oral e ampola retal. O teste de sensibilidade mostrou que, dentre as cepas isoladas, os maiores percentuais de resistência foram observados para ampicilina, amoxicilina, cefalotina e nitrofurantoína. Na cavidade oral de ambas as espécies as cepas foram sensíveis à ceftazidima, ceftriaxona, meropenem, amicacina, levofloxacina e a sulfametoxazol/trimetoprim. Na ampola retal, as isoladas foram sensíveis à cefoxitina, ceftazidima, ceftriaxona, ertapenem, meropenem, amicacina e levofloxacina. Conclui-se que as espécies de S. collinsi e C. jacchus apresentam sua microbiota oral e retal composta por várias espécies bacterianas e que a resistência pode ser um problema no criatório, uma vez que as cepas mostraram percentuais elevados de resistência a diferentes antimicrobianos.
Palavras-chave: Microbiologia, Callithrix jacchusSaimiri collinsi, Amazônia, Antibióticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-08-29

Como Citar

SILVA, M. H.; TAVARES DIAS, H. L.; SILVA FILHO, E. da; SCALERCI, S. R. R. de A.; SILVA, W. B. da; ESPINHEIRO, R. de F. PERFIL DE SENSIBILIDADE A ANTIMICROBIANOS POR COMPONENTES DA MICROBIOTA BACTERIANA ORAL E RETAL DE PRIMATAS NÃO HUMANOS. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 20, p. 1–12, 2019. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/47632. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

MEDICINA VETERINÁRIA