ASSOCIAÇÃO ENTRE A PRESENÇA DE UM FATOR DE 38 kDa NO PLASMA SEMINAL E A INIBIÇÃO DA MOTILIDADE ESPERMÁTICA NO JUNDIÁ Rhamdia quelen

Autores

  • Vinicius Farias Campos Universidade Federal de Pelotas
  • Tiago Collares Universidade Federal de Pelotas
  • Fabiana Kömmling Seixas Universidade Federal de Pelotas
  • Cristian Kaefer Universidade Federal de Pelotas
  • Paulo Varoni Cavalcanti Universidade de São Paulo
  • Marta Gonçalves Amaral Universidade Federal de Pelotas
  • Thomaz Lucia Jr. Universidade Federal de Pelotas
  • João Carlos Deschamps Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v11i2.3781

Palavras-chave:

Reprodução animal

Resumo

Fatores proteicos tem sido indentificados no plasma seminal de peixes e mamíferos e, em algumas situações, associados com indicadores de qualidade espermática. Entretanto, para o jundiá (Rhamdia quelen), tais fatores como aqueles com potenciais associações ainda não foram descritos. Os objetivos deste estudo foram de identificar alguns fatores proteicos presentes no plasma seminal do jundiá e avaliar suas associações com a motilidade espermática. Através de eletroforese do tipo SDS-PAGE foram identificadas 14 bandas proteicas com peso molecular entre 217.1 e 7.1 kDa.  A motilidade espermática foi avaliada em 21 machos. Quatro bandas proteicas (81.5; 60.4; 33.6 e 25.5 kDa) foram detectadas em todas as amostras de plasma seminal analisadas. Uma banda proteica com peso molecular de 38.3 kDa foi associada com a baixa motilidade espermática no jundiá (P< 0,01), uma vez que foi detectada em 91.4% das amostras com motilidade menor que 80%. Estes resultados sugerem que esta banda proteica seminal associada com a baixa motilidade espermática poderá ser considerada como um potencial marcador bioquímico de qualidade seminal.

Palavras-chaveS: Motilidade espermática, plasma seminal, proteínas, Rhamdia quelen, SDS-PAGE.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinicius Farias Campos, Universidade Federal de Pelotas

Aluno do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da UFPel, Centro de Biotecnologia.

Tiago Collares, Universidade Federal de Pelotas

Professor e Pesquisador do Centro de Biotecnologia da UFPel

Fabiana Kömmling Seixas, Universidade Federal de Pelotas

Professora e Pesquisadora do Centro de Biotecnologia da UFPel

Cristian Kaefer, Universidade Federal de Pelotas

Aluno do curso de Ciências Biológicas da UFPel e Bolsista de Iniciação Científica do Centro de Biotecnologia.

Paulo Varoni Cavalcanti, Universidade de São Paulo

Aluno do Programa de Pós-Graduação em Reprodução Animal da USP.

Marta Gonçalves Amaral, Universidade Federal de Pelotas

Professora do Departamento de Morfologia do Instituto de Biologia e Aluna do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia da UFPel

Thomaz Lucia Jr., Universidade Federal de Pelotas

Professor do Departamento de Patologia da Faculdade de Veterianária da UFPel e Pesquisador do Centro de Biotecnologia da UFPel

João Carlos Deschamps, Universidade Federal de Pelotas

Professor do Departamento de Patologia da Faculdade de Veterianária da UFPel e Pesquisador do Centro de Biotecnologia da UFPel

Publicado

2010-06-23

Como Citar

CAMPOS, V. F.; COLLARES, T.; SEIXAS, F. K.; KAEFER, C.; CAVALCANTI, P. V.; AMARAL, M. G.; LUCIA JR., T.; DESCHAMPS, J. C. ASSOCIAÇÃO ENTRE A PRESENÇA DE UM FATOR DE 38 kDa NO PLASMA SEMINAL E A INIBIÇÃO DA MOTILIDADE ESPERMÁTICA NO JUNDIÁ Rhamdia quelen. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 11, n. 2, p. 402–409, 2010. DOI: 10.5216/cab.v11i2.3781. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/3781. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária