EFEITO DE DIFERENTES PROTOCOLOS DE DESCONGELAÇÃO SOBRE O SÊMEN CANINO CRIOPRESERVADO EM DILUIDOR À BASE ÁGUA DE COCO EM PÓ (ACP-106®)

Autores

  • Victor Leão Hitzschky Madeira Universidade Estadual do Ceará
  • Cynthia Levi Baratta Monteiro Universidade Estadual do Ceará
  • Claudia da Cunha Barbosa Universidade Estadual do Ceará
  • Ricardo Parente Jucá Universidade Estadual do Ceará
  • Ângela Cristina de Oliveira Universidade Estadual do Ceará
  • Daniel Couto Uchoa Universidade Estadual do Ceará
  • Lúcia Daniel Machado da Silva Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v11i4.2449

Palavras-chave:

criopreservação, descongelação, sêmen, cão, ACP-106®

Resumo

Sabe-se que a temperatura, bem como a velocidade de descongelação do sêmen, pode afetar a qualidade deste. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi testar diferentes protocolos de descongelação para o sêmen canino diluído em ACP-106® e criopreservado. Para tanto, coletaram-se dez ejaculados oriundos de oito cães, sendo a fração espermática avaliada quanto ao volume, concentração, motilidade, vigor, pH, morfologia, integridade acrossomal e teste hiposmótico. Diluiu-se o sêmen em ACP-106®, contendo 20% de gema de ovo e 6% de glicerol, sendo congelado em palhetas de 0,25 mL. Depois de uma semana, a primeira palheta foi descongelada a uma temperatura de 37°C/60s, a segunda a 55°C/5s e a terceira a 75°C/8s e reavaliaram-se os parâmetros seminais. Os protocolos apresentaram resultados semelhantes para quase todos os parâmetros avaliados, com exceção da motilidade espermática, que foi melhor preservada na descongelação a 55°C/5s por até trinta minutos, seguida do protocolo de 37°C/60s e por último o de 75°C/8s. Analisando-se estes resultados, pode-se concluir que, para o sêmen canino congelado no diluidor ACP-106®, o melhor protocolo para descongelação foi o de 55C/5s.

PALAVRAS-CHAVES: ACP-106®, cão, criopreservação, descongelação, sêmen.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor Leão Hitzschky Madeira, Universidade Estadual do Ceará

Médico Veterinário, mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Estadual do Ceará.

Cynthia Levi Baratta Monteiro, Universidade Estadual do Ceará

Médica Veterinária, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Estadual do Ceará.

Claudia da Cunha Barbosa, Universidade Estadual do Ceará

Médica Veterinária, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Estadual do Ceará.

Ricardo Parente Jucá, Universidade Estadual do Ceará

Acadêmico da Medicina Veterinária da Universidade Estadual do Ceará.

Ângela Cristina de Oliveira, Universidade Estadual do Ceará

Acadêmica da Medicina Veterinária da Universidade Estadual do Ceará.

Daniel Couto Uchoa, Universidade Estadual do Ceará

Médico Veterinário, doutorando do Programa de Pós-Graduação Rede Nordeste de Biotecnologia.

Lúcia Daniel Machado da Silva, Universidade Estadual do Ceará

Médica Veterinária, professor adjunto da Faculdade de Veterinária da Universidade Estadual do Ceará.

Downloads

Publicado

2010-12-21

Como Citar

MADEIRA, V. L. H.; MONTEIRO, C. L. B.; BARBOSA, C. da C.; JUCÁ, R. P.; OLIVEIRA, Ângela C. de; UCHOA, D. C.; SILVA, L. D. M. da. EFEITO DE DIFERENTES PROTOCOLOS DE DESCONGELAÇÃO SOBRE O SÊMEN CANINO CRIOPRESERVADO EM DILUIDOR À BASE ÁGUA DE COCO EM PÓ (ACP-106®). Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 11, n. 4, p. 845–852, 2010. DOI: 10.5216/cab.v11i4.2449. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/2449. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária