ALTERAÇÕES DA MATRIZ EXTRACELULAR ESPLÊNICA EM CÃES NATURALMENTE INFECTADOS COM Leishmania (Leishmania) infantum chagasi

Autores

  • Nathálya dos Santos Martins Universidade Estadual do Maranhão
  • Glaucia Barbosa Coelho Universidade Estadual do Maranhão
  • Larissa Sarmento dos Santos Universidade Estadual do Maranhão
  • Rudson Almeida de Oliveira Universidade Estadual do Maranhão
  • Ana Lúcia Abreu Silva Universidade Estadual do Maranhão
  • Ferdinan Almeida Melo Universidade Estadual do Maranhão

DOI:

https://doi.org/10.1590/cab.v16i1.23500

Palavras-chave:

baço, leishmania, matrix extracelular

Resumo

Objetivou-se estudar as alterações da matriz extracelular no baço de cães naturalmente infectados com Leishmania (Leishmania) infantum chagasi correlacionando-as com aspectos clínicos, histopatológicos e parasitológicos. Foram utilizados 18 cães, divididos em três grupos: seis animais não infectados (grupo controle) e doze animais infectados. Todos sem raça e idade definidas, provenientes da região do Município de São Luis-MA.  Cortes parafinados do baço foram corados pela Hematoxilina e Eosina (H&E); Prata amoniacal de Gomori, para marcação das fibras reticulares e pela técnica Imuno-histoquímica da estreptoavidina-peroxidase para detecção de formas amastigotas de Leishmania. As análises morfométricas foram feitas utilizando-se o programa KS300 e o sistema de análise de imagens Kontron Elektronic/Carl Zeiss, Germany. Os resultados mostram que há um aumento significativo da deposição de fibras colágenas no baço quando comparadas aos animais controles, revelando diferenças significativas entre os animais sintomáticos e assintomáticos. Encontraram-se correlações positivas entre a presença do parasitismo tecidual e a deposição de colágeno. Os animais sintomáticos apresentaram uma maior deposição de colágeno no baço, que pode estar associada ao maior parasitismo tecidual encontrado. Os resultados demonstram que na leishmaniose visceral canina há uma fibrogênese intensa no baço, sendo esta associada ao parasitismo tecidual e a processos degenerativos decorrentes da doença.

Palavras-chave: baço; Leishmania; matrix extracelular.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Sarmento dos Santos, Universidade Estadual do Maranhão

Mestranda em Ciência Animal

Rudson Almeida de Oliveira, Universidade Estadual do Maranhão

Professor Doutor do Departamento das Clínicas

Ana Lúcia Abreu Silva, Universidade Estadual do Maranhão

Professora Doutora do Departamento de Patologia

Ferdinan Almeida Melo, Universidade Estadual do Maranhão

Professor Doutor do Departamento de Patologia

Downloads

Publicado

2015-01-31

Como Citar

MARTINS, N. dos S.; COELHO, G. B.; DOS SANTOS, L. S.; DE OLIVEIRA, R. A.; ABREU SILVA, A. L.; MELO, F. A. ALTERAÇÕES DA MATRIZ EXTRACELULAR ESPLÊNICA EM CÃES NATURALMENTE INFECTADOS COM Leishmania (Leishmania) infantum chagasi. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 16, n. 1, p. 103–115, 2015. DOI: 10.1590/cab.v16i1.23500. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/23500. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária