EXPRESSÃO DE uPAR NA PRÓSTATA CANINA NORMAL E COM LESÕES PROLIFERATIVAS

Autores

  • Mariana Rodrigues Faleiro Universidade Federal de Goiás
  • Denise Caroline Toledo Universidade Federal de Goiás
  • Marcela M. Pinto Rodrigues Universidade estadual Paulista Julio de Mesquita Filho campus-Botucatu-sp
  • Renee Laufer Amorim Universidade estadual Paulista Julio de Mesquita Filho campus-Botucatu-sp
  • Luiz Augusto B. Brito Universidade Federal de Goiás
  • Adilson Donizeti Damasceno Universidade Federal de Goiás
  • Veridiana M. B. Dignani de Moura Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v14i2.18930

Palavras-chave:

Sanidade Animal

Resumo

Lesões prostáticas como a neoplasia intraepitelial prostática (PIN) e a atrofia inflamatória proliferativa (PIA) são estudadas na espécie humana e canina devido ao seu potencial de malignidade. O sistema de ativador de plasminogênio (PA) tem sido sugerido como um importante mecanismo na adesão celular, angiogênese, inflamação e invasão tumoral. O receptor ativador de plasminogênio do tipo uroquinase (uPAR) é um componente do PA, expresso em células tumorais e estromais. Avaliou-se, por imunoistoquímica em lâmina de microarranjo tecidual (TMA), a expressão de uPAR no tecido prostático canino normal e com desordens proliferativas (hiperplasia prostática benigna-HPB, atrofia inflamatória proliferativa-PIA, neoplasia epitelial prostática-PIN e carcinoma-CP), com o objetivo de verificar o papel desta enzima na remodelação de matriz extracelular (ECM) e no processo de invasão tecidual. Foram obtidos 298 cores e 355 diagnósticos, sendo 36 (10,1%) próstatas normais, 46 (13,0%) com HPB, 128 (36,1%) com PIA, 74 (20,8%) com PIN e 71 (20,0%) com CP. Há variação na expressão de uPAR na próstata canina de acordo com a lesão, com menor expressão nas glândulas normais e com HPB, e maior naquelas com lesões displásicas e (PIA e PIN) e neoplásicas (CP). A superexpressão de uPAR nos microambientes inflamatório e neoplásico indica aumento da atividade proteolítica em próstatas caninas com PIA, PIN e CP.

PALAVRAS-CHAVE: carcinoma prostático; CD87; PIA; PIN; TMA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Rodrigues Faleiro, Universidade Federal de Goiás

Patologia animal

Denise Caroline Toledo, Universidade Federal de Goiás

Marcela M. Pinto Rodrigues, Universidade estadual Paulista Julio de Mesquita Filho campus-Botucatu-sp

Renee Laufer Amorim, Universidade estadual Paulista Julio de Mesquita Filho campus-Botucatu-sp

Luiz Augusto B. Brito, Universidade Federal de Goiás

Adilson Donizeti Damasceno, Universidade Federal de Goiás

Veridiana M. B. Dignani de Moura, Universidade Federal de Goiás

Publicado

2013-06-27

Como Citar

FALEIRO, M. R.; TOLEDO, D. C.; RODRIGUES, M. M. P.; AMORIM, R. L.; BRITO, L. A. B.; DAMASCENO, A. D.; MOURA, V. M. B. D. de. EXPRESSÃO DE uPAR NA PRÓSTATA CANINA NORMAL E COM LESÕES PROLIFERATIVAS. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 14, n. 2, p. 237–244, 2013. DOI: 10.5216/cab.v14i2.18930. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/18930. Acesso em: 26 fev. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária