AVALIAÇÃO DE FONTES ENERGÉTICAS E PROTÉICAS NA DIETA BOVINOS CONFINADOS EM FASE DE TERMINAÇÃO

Autores

  • Rafael Luis Clarindo Depto.de Zootecnia - ESALQ/USP
  • Flávio Augusto Portela Santos Depto.de Zootecnia - ESALQ/USP
  • Carla Maris Machado Bittar Depto. de Zootecnia - ESALQ/USP
  • Hugo Imaizumi Depto.de Zootecnia - ESALQ/USP
  • Narson Vinicius dos Anjos Lima Depto.de Zootecnia - ESALQ/USP
  • Eduardo Menegueli Pereira Depto.de Zootecnia - ESALQ/USP

Palavras-chave:

Produção de bovinos

Resumo

No presente trabalho estudou-se a substituição de uma fonte de proteína verdadeira (farelo de soja) por uma fonte de nitrogênio não-protéico (uréia), em combinação com duas fontes de amido – o milho moído fino e o sorgo moído fino –, em rações para bovinos terminados em confinamento. Foram utilizados 24 machos não castrados, sendo 16 garrotes Nelore e 8 Canchim, com peso médio inicial de 417 kg e 15 meses de idade. Alojaram-se os animais individualmente em 24 baias (3 x 11 m) cobertas, com piso de concreto, durante noventa dias. Adotou-se o delineamento experimental de blocos ao acaso. Os animais foram alimentados com rações contendo 20% de feno de Tifton e 80% de concentrado, sendo comparados quatro tratamentos: MFS (milho moído fino + farelo de soja), MU (milho moído fino + uréia), SFS (sorgo moído fino + farelo de soja) e SU (sorgo moído fino + uréia). De acordo com o NRC (1996), todos os tratamentos apresentavam balanços positivos de proteína metabolizável (PM). Não houve efeito de fonte energética no desempenho animal (P>0,05). Os animais alimentados com farelo de soja apresentaram ganho de peso e eficiência alimentar superiores aos alimentados com uréia (P<0,05).

PALAVRAS-CHAVES: Alto grão, farelo de soja, N não-protéico, proteína degradável no rúmen, uréia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Maris Machado Bittar, Depto. de Zootecnia - ESALQ/USP

Depto. de Zootecnia Laboratório de Bromatologia Análise de alimentos e bovinocultura leiteira

Downloads

Publicado

2008-12-21

Como Citar

CLARINDO, R. L.; SANTOS, F. A. P.; BITTAR, C. M. M.; IMAIZUMI, H.; LIMA, N. V. dos A.; PEREIRA, E. M. AVALIAÇÃO DE FONTES ENERGÉTICAS E PROTÉICAS NA DIETA BOVINOS CONFINADOS EM FASE DE TERMINAÇÃO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 9, n. 4, p. 902–910, 2008. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/1144. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

Produção Animal