ATIVIDADE DA LACTATO DESIDROGENASE (LDH) SÉRICA EM CÃES SUBMETIDOS À OXIGENAÇÃO EXTRACORPÓREA POR MEMBRANA (ECMO) POR UM PERÍODO DE TRÊS HORAS

Autores

  • Felipp Silveira Ferreira Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Lara Lages Silveira UENF
  • Alessandra Castello Costa UENF
  • Daniela Fantini Vale UENF
  • Claudio Baptista Carvalho UENF
  • Josias Alves Machado UENF
  • André L. de Abreu Oliveira UENF

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v12i3.10148

Palavras-chave:

ECMO, cães, lactato desidrogenase.

Resumo

A oxigenação extracorpórea por membrana (ECMO) é uma técnica de suporte cardiopulmonar prolongado, que objetiva auxiliar os pulmões e/ou o coração quando estes não respondem aos tratamentos convencionais. Este estudo avaliou a atividade da lactato desidrogenase (LDH) sérica de cinco cães sem raça definida (SRD) submetidos à ECMO por um período de três horas. Sob pressão expiratória positiva final (PEEP) de 10mmHg, ventilação controlada e FiO2 de 21%, a ECMO foi realizada por canulação femoral (artéria e veia), em um desvio artério-venoso (AV). A atividade da LDH foi mensurada a cada trinta minutos, por três horas e os resultados analisados estatisticamente com os testes de ANOVA e Tukey, com atividade da LDH, caracterizando uma lesão muscular ao longo do procedimento, em virtude de uma resposta fisiológica semelhante àquela causada por um choque hipovolêmico. Conclui-se que a ECMO é uma técnica viável de suporte, mas necessita de adaptações para uso clínico em cães.
PALAVRAS-CHAVE: cães; ECMO; lactato desidrogenase.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-09-29

Como Citar

FERREIRA, F. S.; SILVEIRA, L. L.; COSTA, A. C.; VALE, D. F.; CARVALHO, C. B.; MACHADO, J. A.; OLIVEIRA, A. L. de A. ATIVIDADE DA LACTATO DESIDROGENASE (LDH) SÉRICA EM CÃES SUBMETIDOS À OXIGENAÇÃO EXTRACORPÓREA POR MEMBRANA (ECMO) POR UM PERÍODO DE TRÊS HORAS. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 12, n. 3, p. 554–559, 2011. DOI: 10.5216/cab.v12i3.10148. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/10148. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária