“Isso é uma bichona”: a violência homofóbica experienciada por professores gays que trabalham em escolas rurais da Amazônia paraense

Autores

  • Jardinelio Reis da Silva Rede Municipal de Educação (RME), Castanhal, Pará, Brasil, reisilvaj@hotmail.com.br
  • José Damião Trindade Rocha Universidade Federal do Tocantins (UFT), Tocantins, Brasil, damiao@uft.edu.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/rp.v34i1.77918

Resumo

Esta pesquisa foi desenvolvida durante o curso de doutoramento em educação na Amazônia no PGEDA/UFPA/UFT vinculada ao grupo de pesquisa CNPQ Gepce/minorias. O texto coloca em debate a homofobia experienciada por professores gays que trabalham em escolas rurais da Amazônia paraense. Trata-se de uma pesquisa no âmbito do currículo pós-crítico, cujos dados foram gerados por meio de entrevista semiestruturada. Para as análises, recorreu-se ao método documentário de Ralf Bonsach. Os resultados evidencia-se que os sujeitos sociais minorizados sofrem homofobia explícita e homofobia velada em suas relações com a comunidade intra/extraescolar e que os professores gays ressignificam a violência homofóbica sofrida ao pautarem uma educação humanizada e solidária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-12-05

Como Citar

SILVA, J. R. da; ROCHA, J. D. T. “Isso é uma bichona”: a violência homofóbica experienciada por professores gays que trabalham em escolas rurais da Amazônia paraense. Revista Polyphonía, Goiânia, v. 34, n. 1, p. 334–354, 2023. DOI: 10.5216/rp.v34i1.77918. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sv/article/view/77918. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Educação e Diversidades: Interfaces com a Inclusão Escolar