Da reclusão à inclusão: uma análise a partir das representações das professoras da Unidade Prisional Feminina de Pedro Afonso –TO

Autores

  • Kely Rejane Souza dos Anjos de Carvalho Instituto Federal do Tocantins (IFTO), Tocantins, Brasil, kelyrejaneanjos@gmail.com
  • Jocyleia Santana dos Santos Universidade Federal do Tocantins (UFT), Palmas, Tocantins, Brasil, jocyleiasantana@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/rp.v34i1.77901

Resumo

Este estudo tem como objetivo apresentar algumas reflexões acercar da oferta da educação escolar no ambiente prisional, à luz da perspectiva inclusiva e a partir de uma análise contextualizada das narrativas das professoras da Unidade Prisional Feminina (UPF) de Pedro Afonso, estado do Tocantins, no período de 2018 a 2020. O método proposto pela história oral amparou o estudo de caso em tela, cujos instrumentos de coleta de dados foram a observação e a entrevista semiestruturada, com as quatro professoras que atuam exclusivamente no lócus desta pesquisa. Focalizamos a formação inicial e continuada como categoria de análise, sob a égide da perspectiva inclusiva. Os resultados evidenciaram que a educação ofertada na UPF de Pedro Afonso enfrenta inúmeros desafios, quer no âmbito pedagógico, quer no âmbito político, pois é urgente a consolidação de uma proposta curricular que responda às necessidades educativas das alunas em situação de cárcere, bem como a oferta de formação específica para as professoras que têm a prisão como seu espaço de trabalho e sustento. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-12-05

Como Citar

CARVALHO, K. R. S. dos A. de; SANTOS, J. S. dos. Da reclusão à inclusão: uma análise a partir das representações das professoras da Unidade Prisional Feminina de Pedro Afonso –TO. Revista Polyphonía, Goiânia, v. 34, n. 1, p. 69–86, 2023. DOI: 10.5216/rp.v34i1.77901. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sv/article/view/77901. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Educação e Diversidades: Interfaces com a Inclusão Escolar