Práticas identitárias não hegemônicas em sala de aula: um estudo com professoras/es em formação em um curso de Letras – Inglês

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v35.75207

Palavras-chave:

educação linguística, identidades docentes, Linguística Aplicada Crítica

Resumo

Abordamos a dicotomização das práticas identitárias e práxis pedagógicas de professoras/es de inglês em formação, com identidades sexuais e de gênero não hegemônicas, entre vida profissional (ambiente escolar) e privada (identidades de gênero e sexualidade) e seus impactos na educação linguística. A justificativa parte do imperativo reflexivo acerca das práticas identitárias docentes e seus desdobramentos em sala de aula. Entrevistamos seis alunas/os do curso de Letras – Inglês da Universidade Federal de Goiás e problematizamos suas opiniões sobre tal tema. Concluímos que posicionamentos críticos prevaleceram entre as/os entrevistadas/os, o que pode levá-los às práxis críticas a em seus contextos de atuação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Moreira Rebouças Pinho, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO

Graduando em Letras – Inglês pela Universidade Federal de Goiás.

Rosane Rocha Pessoa, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO

Professora na Universidade Federal de Goiás, Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

Referências

AGUILAR, Márcia Adriana Brasil; GONÇALVES, Joseane Peres. Conhecendo a perspectiva pós-estruturalista: breve percurso de sua história e propostas. Revista Conhecimento Online, Novo Hamburgo, v. 1, p. 36-44, 2017. Disponível em: https://periodicos.feevale.br/seer/index.php/revistaconhecimentoonline/article/view/460. Acesso em: 05 maio 2022.

ALMEIDA, Neil Franco Pereira; MOTA, Maria Veranilda Soares. Docências que transitam pelas fronteiras das sexualidades e do gênero: a escola como espaço de imposições de poderes e resistências. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 32., Caxambu, 2009. Trabalhos. [Rio de Janeiro]: Anped, 2009. p. 1-18. Disponível em: http://32reuniao.anped.org.br/arquivos/trabalhos/GT23-5887--Int.pdf. Acesso em: 10 maio 2023.

ALMEIDA, Neil Franco Pereira de. A diversidade entra na escola: histórias de professores e professoras que transitam pelas fronteiras das sexualidades e do gênero. 2009. 239 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2009.

ALMEIDA, Neil Franco Pereira de. Olhares sobre a sexualidade do/a docente homossexual na escola. Periodicus, Salvador, v. 1, n. 2, p. 125- 137, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.9771/peri.v1i2.12882. Acesso em 23 junho 2022.

BENTO, Berenice. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 2, p. 549-559, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ref/a/DMNhmpzNbKWgH8zbgQhLQks/abstract/?lang=pt. Acesso em 30 abril 2022.

BUTLER, Judith. Corpos que Importam: os limites discursivos do “sexo”. São Paulo: n-1 edições, 2019a.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade. 17. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2019b.

BUTLER, Judith. Undoing Gender. New York: Routledge, 2004.

CAMPOS, Luciana Maria Lunardi. Gênero e diversidade sexual na escola: a urgência da reconstrução de sentidos e práticas. Ciência & Educação, Bauru, v. 21, n. 4, p. I-IV, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ciedu/a/Vjj5V3T3BmGDW4zYHpk99xb/?lang=pt. Acesso em: 1 maio 2022.

CAPPARELLI, Camilla dos Passos Araújo; FRANK, Hélvio. Repertórios de gênero e sexualidade em contexto universitário de formação docente. In: SILVA, Kléber Aparecido; FREITAS, Carla Conti de. (org.) Praxiologias do Brasil Central sobre educação linguística crítica. São Paulo: Pá de Palavra, 2021. p. 173-192.

CLARKE, Matthew. The Ethico-politics of Teacher Identity. Educational Philosophy and Theory, York, v. 41. n. 2, p. 185-200, 2009. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1469-5812.2008.00420.x. Acesso em: 1 maio 2022.

DENZIN, Norman Kent.; LINCOLN, Yvonna Sessions. The landscape of qualitative research. 3. ed. Thousand Oaks: Sage, 2008.

DISSIDENTE. In: DICIO, Dicionário Online de Português. Porto, Portugal: 7Graus, 2021. Disponível em: https://www.dicio.com.br/dissidente/. Acesso em: 11 mar. 2022.

FILHA, Constantina Xavier. Tecer e entretecer a vida: educação para as sexualidades e gêneros na formação docente. Educação e Sexualidade, Campo Grande-MS, v. 23, n. 46, p. 215-236, 2017.

FRANÇA, Filipe Gabriel Ribeiro. Eu acho que a minha identidade de professora é homossexual: narrativas e experiências de professor@s homossexuais. 2014. 220 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação – FACED, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2014.

FRANÇA, Filipe Gabriel Ribeiro. “Você é viado? Você gosta de homem?”: Professores/as homossexuais e o dispositivo de sexualidade na escola. Revista Educação, Santa Maria-RS, v. 44, p. 1-18, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/36730/pdf. Acesso em 1 maio 2022.

FRANCO, Neil. A diversidade entra na escola: histórias de professores e professoras que transitam pelas fronteiras das sexualidades e do gênero. 2009. 239 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 58. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 47. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FREITAS, Carla Conti de; PESSOA, Rosane Rocha; SILVA, Kléber Aparecido. Praxiologias do Brasil Central: Floradas de educação linguística crítica. In: SILVA, Kléber Aparecido; FREITAS, Carla Conti de (org.) Praxiologias do Brasil Central sobre educação linguística crítica. São Paulo: Pá de Palavra, 2021. p. 15-24.

GAL, Susan. Language Ideologies Compared: Metaphors of Public/Private. Journal of Linguistic Anthropology, Arlington-VA, v. 15, n. 1, p. 23- 37, 2005. Disponível em: https://anthrosource.onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1525/jlin.2005.15.1.23. Acesso em 11 maio 2022.

GREENWOOD, Davydd; LEVIN, Morten. In: DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. The landscape of qualitative research. 3. ed. Thousand Oaks: Sage, 2008. p. 57-86.

HADDAD, Zahid Mashhour. A Multiple Case Study of Gay Teacher Identity Development: Negotiating and Enacting Identity to Interrupt Heteronormativity. 2013. 174 f. Tese (Doutorado em Filosofia – Formação de Professores) – Department of Curriculum & Instruction, University of Nevada, Las Vegas, 2013.

HADDAD, Zahid Mashhour. Understanding Identity and Context in the Development of Gay Teacher Identity: Perceptions and Realities in Teacher Education and Teaching. Education Sciences, Basel-Suíça, v. 9, n. 2, p. 1-13, 2019. Disponível em: https://www.mdpi.com/2227-7102/9/2/145. Acesso em 9 junho 2022.

HOOKS, Bell. Educando para transgredir: a educação como prática da liberdade. 2. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2017.

LANDER, Roderick. Queer English Language Teacher Identity: A Narrative Exploration in Colombia. Profile: Issues in Teachers’ Professional Development, Bogotá-Colômbia, v. 20, n. 1, p. 89-101, 2018.

LOPES, Alice Casimiro; BORGES, Veronica. Formação docente, um projeto impossível. Cadernos de Pesquisa, v. 45, n. 157, p. 486-507, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/3fndzqkhx7vvrGDNc3vWMVq/abstract/?lang=pt. Acesso em 11 maio 2022.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 16. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

LOURO, Guacira Lopes. (org.) O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2020.

LOURO, Guacira Lopes. Teoria Queer: uma política pós-identitária para a educação. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 9, n. 2, jun./dez. 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ref/a/64NPxWpgVkT9BXvLXvTvHMr/?format=pdf&lang=pt. Acesso em 11 maio 2022.

MILSKOLCI, Richard. Estranhando as ciências sociais: notas introdutórias sobre teoria queer. Revista Florestan, São Carlos-SP, v. 1, n. 2, p. 8-25, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/rvh/article/view/48021. Acesso em: 11 maio 2022.

MILSKOLCI, Richard. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

NELSON, Cynthia Dearborn. Sexual Identities in English Language Education: Classroom Conversations. New York: Routledge, 2009.

PESSOA, Rosane Rocha; PINHO, Felipe Moreira Rebouças. De aproximações e afastamentos praxiológicos e identitários em aulas de língua de um curso de letras: inglês. Campinas-SP: Mercado das Letras [2023?]. No prelo.

PESSOA, Rosane Rocha; Marco Túlio URZÊDA FREITAS. Ensino crítico de línguas estrangeiras/adicionais. In: FIGUEIREDO, Francisco José Quaresma de. (org.) Formação de professores de línguas estrangeiras: princípios e práticas. Goiânia-GO: Editora UFG, 2017. p. 59-80.

PÔRTO, Walesca Afonso Alves.; MASTRELLA-DE-ANDRADE, Mariana Rosa. Estudos identitários e formação crítica de professores/ as de línguas. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 14, n. 3, p. 850-878, 2020. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/47645. Acesso em: 2 junho 2022.

REIS, Cristina Roberta da Silva; TEIXEIRA, Sara Angélica; MENDES, Bárbara Gonçalves. Heteronormatividade: implicações psicossociais para sujeitos não-heteronormativos. Revista Brasileira de Ciências da Vida, Sete Lagoas, v. 5, n. 3, p. 1-22, 2017.

RIOS, Pedro Paulo Souza.; CARDOSO, Helma de Melo; DIAS, Alfrancio Ferreira. Concepções de gênero e sexualidade d@s docentes do curso de licenciatura em pedagogia: por um currículo queer. Educação & Formação, Fortaleza, v. 3, n. 8, p. 98-117, maio/ago. 2018.

ROCHA, Luciana Lins. Teoria queer e a sala de aula de inglês na escola pública: performatividade, indexicalidade e estilização. 2013. 255 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

SARUP, Madan. An introductory guide to Post-structuralism and Postmodernism. 2. ed. Athens: The University of Georgia Press, 1993.

SELISTE-GOMES, Mariana; QUATRIN-CASARIN, Eduarda; DUARTE, Giovana. O conhecimento situado e a pesquisa-ação como metodologias feministas e decoloniais: um estudo bibliométrico. CS, Cali, n. 29, p. 47-72, 2019. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/4763/476362529003/html/. Acesso em 27 maio 2022.

SILVA, Danillo da Conceição Pereira. Micropolíticas de resistência queer na performance narrativa de uma professora da educação básica. Revista Humanidades e Inovação, Palmas-TO, v. 6, n. 10, p. 90-105, 2019. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/1096. Acesso em: 25 maio 2022.

SILVA, Kelly da. Currículo, gênero e identidade na formação de professores/ as. 2011. 195 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2011.

SILVA, Tomás Tadeu da. (org.) Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

SILVESTRE, Viviane Pires Viana.; SILVA, Michael Douglas Rodrigues da. SABOTA, Barbra. Materiais Didáticos de Língua Estrangeira Sob o Viés das Perspectivas Críticas na Educação Linguística: um Estudo pela Ótica dos Três Mundos. Línguas & Letras, [s. l.], v. 20, n. 46, p. 46-64, 2019. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/22040. Acesso em 13 junho 2022.

SOUZA, Gustavo Tozetti Martins de. A língua fora do armário: Uma abordagem transviada no ensino de Línguas Estrangeiras. 2020. 140 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Instituto de Letras, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2020.

SOUZA, Raquel Rosa de; PEREIRA, Ariovaldo Lopes. Repensando o ensino de língua inglesa por meio do letramento crítico sob o viés da afetividade. In: FREITAS, Carla Conti de; PESSOA, Rosane Rocha; SILVA, Kléber Aparecido. (org.) Praxiologias do Brasil Central sobre educação linguística crítica. São Paulo: Pá de Palavra, 2021. p. 135-152.

SPARGO, Tamsin. Foucault e a teoria queer: seguido de Ágape e orientações pós-seculares. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

SULLIVAN, Nikki. A critical introduction to Queer Theory. 1. ed. New York: New York University Press, 2003.

TSUI, Amy Bik May. Complexities of Identity Formation: A Narrative Inquiry of an EFL Teacher. TESOL Quarterly, v. 41, n. 4, p. 657- 680, 2007. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/j.1545-7249.2007.tb00098.x. Acesso em 10 junho 2022.

URZÊDA FREITAS, Marco Túlio. Ensino de Línguas como Transgressão: Corpo, Discursos de Identidades e Mudança Social. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.

URZÊDA FREITAS, Marco Túlio. Letramentos queer na formação de professorxs de línguas: complicando e subvertendo identidades no fazer docente. 2018. 283 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2018.

VARGHESE, Manka; MORGAN, Brian; JOHNSTON, Bill; JOHNSON, Kimberley. Theorizing Language Teacher Identity: Three Perspectives and Beyond. Journal of Language, Identity & Education, Londres, v. 4, n. 1, p. 21-44, 2005.

VARGHESE; Manka; MOTHA, Suhanthie; PARK, Gloria; REEVES, Janelle; TRENT, John. I In This Issue [of TESOL Quarterly, on Language Teacher Identity]. TESOL Quarterly, v. 50, n. 3, p. 545–571, 2016.

VELLASCO, Bianca Allencar; LOPES, Cristiane Rosa. Performances discursivas de professoras/es de língua inglesa: concepções de linguagem em trânsito. In: FREITAS, Carla Conti de; PESSOA, Rosane Rocha; SILVA, Kléber Aparecido. (org.) Praxiologias do Brasil Central sobre educação linguística crítica. São Paulo: Pá de Palavra, 2021. p. 215-230.

VIANNA, Cláudia; CARVALHO, Tatiana. Formação e prática docente: sobre a visibilidade das professoras lésbicas. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, Belo Horizonte, v. 12, n. 24, p. 77-90, 2020. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/336. Acesso em 30 maio 2022.

Downloads

Publicado

2023-08-11

Como Citar

PINHO, F. M. R.; PESSOA, R. R. Práticas identitárias não hegemônicas em sala de aula: um estudo com professoras/es em formação em um curso de Letras – Inglês. Signótica, Goiânia, v. 35, p. e75207, 2023. DOI: 10.5216/sig.v35.75207. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/75207. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos