O fantástico e o gótico em A Rainha do Ignoto, de Emília Freitas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v34.73099

Palavras-chave:

A Rainha do Ignoto, Emília Freitas, Fantástico, Gótico

Resumo

O artigo examina o romance A Rainha do Ignoto (1899), de Emília Freitas, demonstrando as inovações formais do texto, que se constrói com base na literatura fantástica e gótica. Busca-se compreender como essas tradições literárias ajudaram a construir um enredo que contrapõe criticamente dois planos, um real e um utópico, os quais estabelecem uma referência subversiva ao conturbado ambiente político brasileiro de fins do século XIX. Além disso, discutem-se as construções de gênero das personagens protagonistas do romance tendo-se em vista a particular apropriação que faz Emília Freitas da forma gótica para narrar a relação entre medo e gênero sexual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CAVALCANTE, Alcilene. Uma escritora na periferia do Império: vida e obra de Emília Freitas (1855-1908). Apresentação de Constância Lima Duarte. Ilha de Santa Catarina: Editora Mulheres, 2008.

DUARTE, Constância Lima. Apresentação. A Rainha do Ignoto ou a impossibilidade da utopia (apresentação). In: FREITAS, Emília. A Rainha do Ignoto: romance psicológico. São Paulo: Editora 106, 2019. p. 11-17.

______. Arquivos de mulheres e mulheres anarquivadas: histórias de uma história malcontada. Revista Gênero, Niterói, v. 9, n. 2, p. 11-17, 1. sem. 2009.

FIRPO, Luigi. Para uma definição da “Utopia”. Trad. Carlos Eduardo O. Berriel, Morus – Renascimento e utopia, Campinas, n. 2, p. 227-237, 2005.

FREITAS, Emília. A Rainha do Ignoto: romance psicológico. Apresentação e notas de Constância Lima Duarte. São Paulo: Editora 106, 2019.

KILGOUR, Maggie. The rise of the Gothic novel. Abingdon; New York: Routledge, 1997.

MARRA, Laísa. A narrativa de Maria Firmina dos Reis: nação e colonialidade. 2020. 191 f. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras: Estudos Literários, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

MATANGRANO, Bruno Anselmi; TAVARES, Enéias. Fantástico brasileiro: o insólito literário do romantismo ao fantasismo. Curitiba: Arte & Letra, 2019.

MOERS, Ellen. Female Gothic. In: ______. Literary women. New York: Doubleday, 1976. p. 90-110.

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. 5 ed. rev. ampl. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2019.

MUZART, Zahidé Lupinacci. Sob o signo do gótico: o romance feminino no Brasil, século XIX. Revista Veredas, Santiago de Compostela, v. 10, p. 295-308, dez. 2008.

______. (Org.). Escritoras Brasileiras do Século XIX. Florianópolis: Editora Mulheres; Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 1999. 3 v.

PUNTER, David; BYRON, Glennis. The Gothic. Malden; Oxford; Carlton: Blackwell, 2004.

QUINHONES, Elenara Walter. Entre o real e o imaginário: configurações de uma utopia feminina em A Rainha do Ignoto, de Emília Freitas. 2015. 144 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2015.

REIS, Roberto. O fantástico do poder e o poder do fantástico. Ideologies and Literature, Minnesota, v. 3, n. 13, p. 3-22, june/aug. 1980.

ROAS, David. A ameaça do fantástico: aproximações teóricas. Trad. Julián Fuks. São Paulo: Editora UNESP, 2014.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e a questão racial no Brasil (1870-1930). São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

TODOROV, Tzvetan. Introdução à literatura fantástica. Trad. Maria Clara Correa Castello. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2017.

WILLIAMS, Anne. Art of darkness: a poetics of gothic. Chicago; London: Chicago University Press, 1995.

Downloads

Publicado

2022-11-23

Como Citar

SALES CRUZ, R.; BASTOS , L. M. de P. C. O fantástico e o gótico em A Rainha do Ignoto, de Emília Freitas. Signótica, Goiânia, v. 34, 2022. DOI: 10.5216/sig.v34.73099. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/73099. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Estudos Literários