Linhas de força da literatura negra na poesia de Conceição Evaristo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v35.72835

Palavras-chave:

Conceição Evaristo, Poesia, Literatura negra, Autorrepresentação

Resumo

Este estudo desenvolve leitura de três poemas de Conceição Evaristo, presentes no livro Poemas da recordação e outros movimentos (2017). “Vozes-mulheres”, “Fêmea-Fênix” e “Medos das dores do parto” são composições que contêm traços recorrentes da literatura negra, a exemplo da prática da reescrita, da (re)construção auto-identitária e da valorização da memória ancestral, elementos que resultam na formulação literária do conceito de negritude. O estudo encontra-se orientado pelas formulações teóricas de Zilá Bernd (1988, 1992), Octavio Paz (1982), Lélia Gonzalez (2019), bell hooks (1995) e Grada Kilomba (2019), além de estudos críticos convocados no desenvolvimento das análises.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Antônio Vieira Júnior, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO

Doutor em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás.

Andressa Souza Silva, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO

Mestranda em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás.

Referências

ALVES, Castro. Espumas flutuantes. Os escravos. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

ARAÚJO, Roselene; VIEIRA JÚNIOR, Paulo Antônio. O lugar de fala da mulher negra em Olhos d’água, de Conceição Evaristo. Revista Trama, [Marechal Cândido Rondon], v. 16, n. 38, p. 75-88, 2020. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/24210. Acesso em: 22 dez. 2020.

BERND, Zilá. Introdução à literatura negra. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BERND, Zilá. Literatura Negra. In: JOBIM, José Luis (org.). Palavras da crítica. Rio de Janeiro: Imago, 1992. p. 267-275.

BRANCO, Lúcia Castelo; BRANDÃO, Ruth Santiago. A mulher escrita. Rio de Janeiro: Lamparina Editora, 2004.

CANDIDO, Antonio. O direito a literatura. In: CANDIDO, Antonio. Vários escritos. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, 1995. p. 171-193.

CANDIDO, Antonio. Poesia e oratória em Castro Alves. In: CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira. São Paulo: Ouro Sobre Azul, 2012. p. 583-599.

DANTAS, Luiz; SIMPSON, Pablo. Introdução. In: ALVES, Castro. Espumas flutuantes. Os escravos. São Paulo: Martins Fontes, 2001. p. XIII-XLV.

DUARTE, Eduardo de Assis. Rubem Fonseca e Conceição Evaristo: Olhares distintos sobre a violência. In: DUARTE, Constância Lima; CÔRTES, Cristiane; PEREIRA, Maria do Rosário A. (org.) Escrevivências: identidade, gênero e violência na obra de Conceição Evaristo. 2. ed. Belo Horizonte: Editora Idea, 2018. p. 209-219.

EVARISTO, Conceição. A escrevivência e seus subtextos. In: DUARTE, Constância Lima; NUNES, Isabella Rosado. (org.). Escrevivência: a escrita de nós: reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte, 2020. p. 26-46.

EVARISTO, Conceição. Olhos d’água. Rio de Janeiro: Pallas, 2019.

EVARISTO, Conceição. Poemas da recordação e outros movimentos. Rio de Janeiro: Malê, 2017.

FONSECA, Maria Nazareth Soares. Escrevivência: sentidos em construção. In: DUARTE, Constância Lima; NUNES, Isabella Rosado. (org.) Escrevivência: a escrita de nós: reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte, 2020. p. 58-73.

GONZALEZ, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de (org.). Pensamento feminista brasileiro. Rio de Janeiro: Bazar do tempo, 2019. p. 261-278.

HOOKS, bell. Intelectuais Negras. Revista Estudos Feministas, [Florianópolis], ano 3, n. 2, p. 464-478, 2. sem. 1995. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/16465/15035. Acesso em: 22 set. 2020.

HUTCHEN, Linda. Uma teoria da paródia. São Paulo: Edições 70, 1989.

IBGE. Estatísticas de Gênero. [Rio de Janeiro]: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/apps/snig/v1/?loc=0&cat=-15,-16,55,-17,-18,128&ind=4704. Acesso em: 6 nov. 2020.

KILOMBA, Grada. Memórias de Plantação: episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LOBO, Luísa. Crítica sem juízo. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1993.

MORAIS, Juliana Borges Oliveira de. Espaços e sujeitos contemporâneos: trânsitos e percursos. In: DUARTE, Constância Lima; CÔRTES, Cristiane; PEREIRA, Maria do Rosário A. (org.) Escrevivências: identidade, gênero e violência na obra de Conceição Evaristo. 2. ed. Belo Horizonte: Editora Idea, 2018. p. 61-70.

NASCIMENTO, Beatriz. A mulher negra e o amor. In: BUARQUE DE HOLLANDA, Heloísa (org.) Pensamento feminista brasileiro. Rio de Janeiro: Bazar do tempo, 2019. p. 265-268.

OLIVEIRA, Natália Fontes. Os condenados da terra: violência e maternidade. In: DUARTE, Constância Lima; CÔRTES, Cristiane; PEREIRA, Maria do Rosário A. (org.) Escrevivências: identidade, gênero e violência na obra de Conceição Evaristo. 2. ed. Belo Horizonte: Editora Idea, 2018. p. 159-173.

PAZ, Octavio. O Arco e a Lira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos orixás. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SOBRINHO, Simone Teodoro. A violência de gênero como experiência trágica na contemporaneidade. In: DUARTE, Constância Lima; CÔRTES, Cristiane; PEREIRA, Maria do Rosário A. (org.) Escrevivências: identidade, gênero e violência na obra de Conceição Evaristo. 2. ed. Belo Horizonte: Editora Idea, 2018. p. 175-185.

TELLES, Norma. Autora. In: JOBIM, José Luís (org.). Palavras da Crítica. Rio de Janeiro: Imago, 1992. p. 45-64.

Downloads

Publicado

2023-04-08

Como Citar

VIEIRA JÚNIOR, P. A.; SILVA, A. S. Linhas de força da literatura negra na poesia de Conceição Evaristo. Signótica, Goiânia, v. 35, p. e72835, 2023. DOI: 10.5216/sig.v35.72835. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/72835. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Estudos Literários