O grafismo infantil e sua relação com a escrita: uma experiência vivida na Associação Pestalozzi de Codó – MA

Autores

  • Maria de Fátima Braga Novaes Universidade Federal do Maranhão (UFMA), campus Codó, Codó, Maranhão, Brasil. E-mail: fatimabraganovaes@gmail.com
  • Cristiane Dias Martins da Costa Universidade Federal do Maranhão (UFMA), campus Codó, Codó, Maranhão, Brasil. E-mail: crisdmc@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v33.67938

Palavras-chave:

Escrita infantil. Desenho infantil. Psicogênese da leitura e da escrita

Resumo

O artigo aborda a relação estabelecida entre o grafismo infantil, produzido por alunos da Associação Pestalozzi de Codó – Maranhão, e as fases de aquisição da escrita alfabética. Nesse contexto, a metodologia teve como enfoque o estudo de caso de cunho etnográfico, considerando a imersão na escola durante dois anos. O apoio teórico ancora-se em estudiosos do campo do grafismo infantil, como Ferreira (2015), Hanauer (2013) e Yavorsti (2018), e da evolução da escrita, como Ferreiro e Teberosky (1999), Luna e Silva (2013), Rosseto (2017), entre outros. Através da pesquisa, constatou-se que o grafismo contribui para o processo de ensino da criança, pois permite à criança externar graficamente suas necessidades, sentimentos, além de contribuir com aspectos cognitivos, motores, sociais e emocionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9394, 20 de dezembro de 1996. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

CARVALHO, Valéria Luzia Fernandes. O desenho como forma de expressão no Ensino de Artes Visuais. 2015. 45f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Ensino de Artes Visuais) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

CAVATON, Maria Fernanda Farah. A mediação da fala, do desenho e da escrita na construção de conhecimento da criança de seis anos. 2010. 173f. Tese (Doutorado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2010.

FAYOL, Michel. Aquisição da escrita. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

FERREIRA, Ana Patrícia. A importância do ensino de artes visuais na educação infantil. 2015. 39f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Ensino de Artes Visuais) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

FERREIRA, Carlos Augusto Lima. Pesquisa quantitativa e qualitativa: perspectiva para o campo da educação. Revista Mosaico, Vassouras, v. 8, n. 2, p. 173-182, 2015.

FERREIRO, Emília; TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artmed, 1999.

HANAUER, F. Riscos e Rabiscos- o desenho na educação infantil. Perspectiva, Erechim, v. 37, n. 140, p. 73-82, dez. 2013.

LUCAS, Maria Angélica Olivo Francisco; CUSTÓDIO, Tatiana; VIDOTTI, Thaís Tono. O papel do desenho no processo de apropriação da escrita. In: SEMANA DE PEDAGOGIA DA UEM, 1., 2012, MARINGÁ. Anais […]. Maringá: Universidade Estadual de Maringá, 2012. p. 1-6.

LUNA, Franciele da Silva; SILVA, Ruth André. Psicogênese da língua escrita: o processo de ensino e aprendizagem de alfabetização no 1º ano do ensino fundamental. 2013. 91f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Pedagogia) – Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium, Lins, São Paulo, 2013.

MACHADO, Lucimar da Silveira Vieira. Desenho – Pré-estabelecido e Espontâneo. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Pedagogia) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

MARQUES, Carina Domingues. A Arte Rupestre. Monções UFMS, Mato Grosso do Sul, v. 3, n. 4, p. 21-36, fev. 2016.

PAIVA, Vera Lúcia Meneses de Oliveira. Manual de pesquisa em estudos linguísticos. São Paulo: Parábola, 2019.

PILLAR, A. D. Desenho e construção de conhecimento na criança. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

ROSSETO, Alessandra Dedéco Furtado. Sondagem digital da escrita de crianças em fase alfabetização: uma abordagem tecnológica a partir da psicogênese da língua escrita. 2017. 73f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Humanas, Sociais e da Natureza, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Londrina, 2017.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 2007.

VYGOTSKY, Lev. A pré-história da linguagem escrita. In: VYGOTSKY, Lev. (org.) Formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2000. p. 140-157.

WIELEWICKI, Vera Helena Gomes. A pesquisa etnográfica como construção discursiva. Acta Scientiarum, Maringá, v. 23, n. 1, p. 27-32, 2001.

YAVORSTI, Rosely; CAMPOS, M. A. S. A importância do desenho infantil para o desenvolvimento da escrita no ensino fundamental. Revista GeoPantanal, Pantanal, v. 13, n. 25, p. 165-180, jul. /dez. 2018.

Downloads

Publicado

2022-01-21

Como Citar

NOVAES, M. de F. B. .; COSTA, C. D. M. da . O grafismo infantil e sua relação com a escrita: uma experiência vivida na Associação Pestalozzi de Codó – MA. Signótica, Goiânia, v. 33, 2022. DOI: 10.5216/sig.v33.67938. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/67938. Acesso em: 7 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê de Estudos Linguísticos