A apropriação da escrita do Português pelo surdo

Autores

  • Flavia Botelho Borges Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. E-mail: flavia2b@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-1736-8499
  • Larissa Ruth Siniak dos Anjos Härter Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. E-mail: larissaruthanjos@yahoo.com.br https://orcid.org/0000-0002-0140-1979

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v33.67909

Palavras-chave:

Apropriação da Escrita, Língua Portuguesa como Segunda Língua, Educação Bilíngue, Surdo

Resumo

Este artigo pretende compreender a apropriação de Língua Portuguesa (LP) escrita como segunda língua (L2) por alunos surdos matriculados no oitavo ano do Ensino Fundamental no CEAADA, instituição pública de ensino de Cuiabá, Mato Grosso. Para tanto, objetiva analisar conjuntos de atividades escritas a partir de quatro gêneros textuais, mediante acompanhamento e participação de aulas ministradas de LP, constituindo uma pesquisa de cunho qualitativo do tipo estudo de caso e pesquisa-ação. A análise revelou que esses aprendizes são capazes de se apropriarem da LP escrita sem o intermédio da oralidade, entretanto, deparam-se com algumas dificuldades no nível estrutural da sentença e de compreensão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Ruth Siniak dos Anjos Härter, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. E-mail: larissaruthanjos@yahoo.com.br

Mestra em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Mato Grosso. Possui graduação em Jornalismo pelas Faculdades Integradas de Várzea Grande (2008) e em Letras Literatura pela Universidade Federal de Mato Grosso (2014). Possui MBA em Marketing e Comunicação Social (2010). Possui Pós-Graduação em Tradução/Interpretação e Docência de LIBRAS (2018) e Especialização em Libras e Educação Inclusiva pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (2019). Tem experiência nas áreas de Comunicação, Jornalismo, Marketing, Publicidade e Propaganda, Promoção de eventos e Docência.

Referências

AHLGREN, I. Sign language as the first language. In: AHLGREN; HYLTENSTAM (Eds) Bilinguismindeaf education. Hamburg: Signum-Verl, p. 15-36, 1994.
ANDERSSON, R. Second Language Literacy in Deaf Students. In Bilinguism in deaf education. Ahlgren & Hyltenstam (eds.) Hamburg: Signum-Verl.. 91-102, 1994.
BERENT, G. P. The acquisition of english syntax by deaf learners. In Handbook of second language acquisition. Edited by William C. Ritchie & Tej. Bhatia. Academic Press. San Diego: CA. 1996.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1999.
BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC. 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/>. Acesso em: 20 maio 2019.
_____. Lei 10.436/02, de 24 de abril 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm> Acesso em: 27 jul. 2020.
_____. Decreto 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm>. Acesso em: 16 jun. 2017.
_____. Parâmetros Curriculares Nacionais: Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental: Língua Portuguesa. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.
BROCHADO, Sônia Maria Dechandt. A apropriação da escrita por crianças surdas usuárias da língua de sinais brasileira. Tese de Doutorado. Universidade Estadual Júlio
de Mesquita Filho, UNESP, São Paulo, 2003.
EMMOREY, Karen. Language, Cognition, and the Brain: insights from Sign Language Research. Londres: Lawrence Erlbaum Associates, 2002.
FERNANDES, Sueli. Avaliação em Língua Portuguesa para alunos surdos: algumas considerações. 2007. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - TEXTO DIDÁTICO).
_____. Linguagem e surdez. Porto Alegre: Artmed, 2003.
FERREIRA BRITO, Lucinda. Por uma gramática de língua de sinais. Rio de Janeiro: Tempo, 2010.
_____. Integração Social & Educação de Surdos. Babel Editora. RJ. 1993.
FINAU, ROSSANA. Aquisição de escrita por alunos surdos: a categoria aspectual como um exemplo do processo. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 14, p. 935-956, 2014.
GARCIA, Eduardo de Campos. O que todo pedagogo precisa saber sobre Libras. Salto, SP: Schoba, 2012.
GESUELI, Z.M. A criança não-ouvinte e a aquisição da escrita. Dissertação de mestrado, UNICAMP, 1988.
GOLDIN-MEADOW, Susan. The resilience of language: what gesture creation in Deaf children can tell us about how all children learn language. Nova York: Psychology Press, 2003.
_____.; MAYBERRY, R.I. How do profundly deaf children learn to read? Learning disabilities research & practices, 16(4), 2001, p. 221-228.
GÓES, Maria Cecília Rafael de. Linguagem, Surdez e Educação. Campinas, SP: Autores Associados, 1996.
GUARINELLO, Ana Cristina. O papel do outro na escrita de sujeitos surdos. 2. ed. São Paulo: Plexus, 2007.
LODI, Ana Claudia Balieiro; MÉLO, A. D. B; FERNANDES, E. (Orgs.). Letramento, bilinguismo e educação de surdos. Porto Alegre: Mediação, 2015.
MATO GROSSO. PORTARIA Nº 601/2018/GS/SEDUC/MT. Dispõe sobre critérios e procedimentos para a organização e funcionamento dos Serviços da Educação Especial, nas Escolas e Centros Especializados e nas Escolas Comuns. Disponível em: <diario_oficial_2018-10-25_completo (seduc.mt.gov.br)>. Acesso em: 20 jan 2020.
MAYBERRY, R.; EICHEN, E. “The Long-lasting Advantage of Learning Sing Language in Childhood: another look at the Critical Period for language acquisition.” Jornal of Memory and Language. 30, pp. 486-512, 1991.
MORFORD, J. P.; MAYBERRY, R. I. (Eds.), Language acquisition by eye (p. 165-189). Lawrence Erlbaum Associates Publishers. 2000.
NEVES, Bruna Crescêncio. Educação bilíngue para surdos e as implicações para o aprendizado da Língua Portuguesa como segunda língua. Tese de Doutorado. Florianópolis: UFSC, 2017.
NOVAES, Denise Queiroz. A Produção de Textos dos alunos surdos na Universidade: Orientação e Avaliação. In: Letramento na diversidade: surdos aprendendo a ler/escrever. Ivani Rodrigues Silva; Marília P. Marinho Silva. (Orgs.). Campinas, SP: Mercado das Letras, 2018.
PEIXOTO, Renata Castelo. Algumas considerações sobre a interface entre a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e a Língua Portuguesa na construção inicial da escrita pela criança surda. Cad. CEDES vol.26 n°.69 Campinas May/Aug., 2006.
PEREIRA, R. C. Surdez: aquisição de linguagem e inclusão social. Rio de Janeiro: Revinter, 2008.
PERLIN, G. Identidades surdas. In: SKLIAR, C. (Org.) A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação, 1998.
QUADROS, Ronice Müller de. Educação de surdos: A aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
_____.; SCHMIEDT, Magali L. P. Ideias para ensinar português para alunos surdos. Brasília: MEC, SEESP, 2006.
RODRIGUES, Carlos Henrique. Situações de incompreensão vivenciadas por professor ouvinte e alunos surdos em sala de aula: processos interpretativos e oportunidades de aprendizagem. 2008. Dissertação de Mestrado em Educação e Linguagem. Belo Horizonte: Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, 2008.
SILVA, Claudney Maria de Oliveira. O surdo na escola inclusiva aprendendo uma língua estrangeira (Inglês): um desafio para professores e alunos. 2005. 230f. Dissertação (Mestrado em Línguística Aplicada) – Universidade de Brasília, Brasília, 2005.
SILVA, Simone Gonçalves de Lima da. Ensino de Língua Portuguesa para surdos: das Políticas as Práticas Pedagógicas. Dissertação de Mestrado em Educação - UFSC. Florianópolis, 2008.
SKLIAR, C. B. Um olhar sobre nosso olhar acerca da surdez e as diferenças. In: SKLIAR, C. B. (Org.) A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação, 1998.
_____. (Org.) Educação e exclusão: abordagens sócio-antropológicas em educação especial. Porto Alegre: Mediação, 1997a.
WFD – FEDERAÇÃO MUNDIAL DOS SURDOS. Documento de posicionamento relativo à Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, 2003. Disponível em: <http://www.un.org/esa/socdev/enable/rights/contrib-wfd.htm> Acesso em: 20 de jul. 2020.
YIN, R. K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman. 2001.

Downloads

Publicado

2021-11-17

Como Citar

BORGES, F. B. .; HÄRTER, L. R. S. dos A. A apropriação da escrita do Português pelo surdo. Signótica, Goiânia, v. 33, 2021. DOI: 10.5216/sig.v33.67909. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/67909. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê de Estudos Linguísticos