A ação construída na Libras conforme a linguística cognitiva

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v32.62990

Palavras-chave:

Línguas de Sinais. Libras. Ação construída. Perspectiva. Linguística Cognitiva.

Resumo

Este artigo descreve os resultados parciais de uma pesquisa sobre ação-construída (AC) em Libras, a partir de vídeos espontâneos de surdos, ou seja, vídeos de conteúdos diversos, disponibilizados pelos próprios sinalizantes em seus canais particulares na internet. Enfoca um dos elementos da representação da perspectiva, quando o sinalizante “incorpora” o referente, possibilitando a percepção dos fatos retratados sob a sua ótica. À luz da Linguística Cognitiva, busca-se compreender a relação entre a linguagem e o pensamento no uso discursivo. A AC é essencial para a compreensão dos enunciados pelos surdos, pois expressa uma riqueza de detalhes essenciais para o reconhecimento do referente. Quinto-Pozos (2007b) sugere que esse recurso seja obrigatório nas línguas de sinais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elidéa Lúcia Almeida Bernardino, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Doutora em Lingüística Aplicada pela Boston University (2006).

Dinalva Martins, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Mestranda em Linguística Aplicada (Poslin/UFMG).

Jéssica Moura, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Graduada em Letras Português (UFMG).

Stéfanie Bastos, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Graduada em Letras Língua Portuguesa (UFMG).

Referências

BERNARDINO, Elidéa L. A. O uso de classificadores na Língua de Sinais Brasileira. ReVEL, [s. l.], v. 10, n. 19, 2012. Disponível em: http://www.revel.inf.br/files/6ecf02602b4f746097e5749734cfd433.pdf. Acesso em: 16 fev. 2020.

BORGES, Andrei. Programa do surdo Andrei A viagem de avião.mp4 (vídeo público “baixado” do site de Andrei Borges em 09/10/2015) – não mais disponível na internet. Print de tela em 27/02/2018.

CARVALHO, Leonora Guiné de Mello. Estereótipo e identidade em piadas sobre o mineiro: uma perspectiva da análise do discurso. 2011.

f. Dissertação (Mestrado em Letras - Linguagem, Cultura e Discurso) – Departamento de Letras, Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, 2011. Disponível em: http://file:///G:/leonora_guine_de_mello_carvalho%20Esteri%C3%B3tipo.pdf. Acesso em: 16 fev. 2018.

CASTILHO, Leonardo. Os surdos têm voz (vídeo). 20 jul. 2017. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Bcq6GPyMfPo. Acesso em: 27 fev. 2018.

CASTILHO, Leonardo. Gente que inspira – entrevista com o ator feita por Mirian Caxilé – TV CES (vídeo) 26 out. 2016. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=lZXuWpTsC4w. Acesso em: 27 fev. 2018.

DUDIS, Paul G. Body partitioning and real-space blends. Cognitive Linguistics, [s. l.], v. 15, n. 2, p. 223-238, 2006.

ELAN (Version 5.0) [Computer software]. Nijmegen: Max Planck Institute for Psycholinguistics, The Language Archive. Disponível em:https://archive.mpi.nl/tla/elan. Acesso em: 08 nov. 2017.

FERRARI, Lilian. Introdução à Linguística Cognitiva. São Paulo: Editora Contexto, 2011.

NONATO, Rainer. A mulher de Samaria (vídeo). 26 mar. 2014. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=0XrY5YeGgKw. Acesso em: 27 fev. 2018.

ÖZYÜREK, Aslı; ERNISS, Pamela. Event representation in sign language: A crosslinguistic perspective. In: BOHNEMEYER, Jürgen & PEDERSON, E. (eds.), Event representation in language: Encoding events at the language-cognition interface. Cambridge: Cambridge University Press, 2011. p. 84-107.

PERNISS, Pamela M. Achieving spatial coherence in German Sign Language narratives: The use of classifiers and perspective. Lingua, [s. l.], v. 117, n. 7, p. 1315-1338, 2007.

QUINTO-POZOS, David. Can constructed action be considered obligatory? Urbana-Champaign, U.S. A. Lingua, [s. l.], v. 117, n. 7, p. 1285 - 1314, 2007a.

QUINTO-POZOS, David. Why does Constructed Action seem obligatory? An analysis of “Classifiers” and the lack of articulator-referent correspondence. Sign Language Studies, [s. l.], v. 7, n. 4, p. 458-506, Summer, 2007b. Disponível em: www.jstor.org/stable/26190713. Acesso em: 09 mar. 2016.

QUINTO-POZOS, David; PARRILL, Fey. Signers & co-speech gestures adopt similar strategies for portraying viewpoint in narratives. Topics in Cognitive Science, [s. l.], v. 7, n. 1, p. 12-35, 2015.

SANTOS, Sandro. Código penal Crime: cobrar dinheiro de pessoas Artigo 171 CP e artigo 342 … surdo faltar consciência surdo. Facebook: A Sociedade em Libras. 19 dez. 2017. Disponível em: https://www.facebook.com/sandro.pereira.56/videos/1573044019447835/>. Acesso em: 27 fev. 2018.

SILVA, Augusto Soares da; BATORÉO, Hanna Jakubowicz. Gramática Cognitiva: estruturação conceptual, arquitectura e aplicações.

Gramática Cognitiva, Portugal, p. 229-251, jan. 2010. Disponível em: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/8319.pdf. Acesso em: 23 jan. 2018.

STEC, Kashmiri. Meaningful shifts: a review of viewpoint markers in co-speech gesture and sign language. Gesture, [s. l.], v. 12, n. 3, p. 327-360, 2012.

SUPALLA, Ted. The classifier system in American Sign Language. In: CRAIG, Colette. (Ed.) Typological studies in language: noun classes and categorization. Amsterdam, Philadelphia: John Benjamin Publishing Company, 1986. Volume 7. p. 181-214.

TV CES. Gente que inspira - Leonardo Castilho (vídeo). 26 out. 2016. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=lZXuWpTsC4w&-t=191s. Acesso em: 27 fev. 2018.

VITURINNO, Leonardo. 5 coisas que todo mundo gosta, menos eu! (vídeo). 2017. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=L1mBOACGp-g&t=41s. Acesso em: 27 fev. 2018.

Downloads

Publicado

2021-04-08

Como Citar

BERNARDINO, E. L. A.; MARTINS, D. A. .; MOURA, J. C. B. de; BASTOS, S. V. A ação construída na Libras conforme a linguística cognitiva. Signótica, Goiânia, v. 32, 2021. DOI: 10.5216/sig.v32.62990. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/62990. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê de Estudos Linguísticos