As concepções brasileira e anglófona de plágio: um estudo preliminar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v30i2.46558

Palavras-chave:

Plágio. Letramento Acadêmico. Manuais de ensino da escrita acadêmica em português. Visões brasileira e anglófona de plágio.

Resumo

Diante da internalização das universidades brasileiras e a crescente pressão por publicação em inglês em periódicos internacionais bem qualificados, a questão do plágio adquire contornos mais complexos (FERREIRA; PERSIKE, 2014) como, por exemplo, o aspecto cultural. Este estudo analisa a visão do termo em manuais de ensino da escrita acadêmica em português e a compara com a visão anglófona (SCOLLON, 1995). A visão anglófona foi investigada em revisões da literatura sobre o tema e em sites das principais editoras internacionais. A visão brasileira foi abordada em oito importantes manuais de ensino da escrita acadêmica em português. Verificou-se que o termo é evitado no Brasil, enquanto no contexto anglo-saxão, é amplamente discutido e seu ensino defendido. Além de ser definido de maneira superficial – quando há definição –, a prevenção ao plágio não é abordada, uma vez que as habilidades essenciais do letramento acadêmico para a elaboração de textos, como a paráfrase, não são contempladas adequadamente nos materiais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marília Mendes Ferreira, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, São Paulo, Brasil, fmarilia2@gmail.com

Alissa Persike, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, São Paulo, Brasil, alissa_persike@hotmail.com

Downloads

Publicado

2018-04-24

Como Citar

MENDES FERREIRA, M. .; PERSIKE, A. As concepções brasileira e anglófona de plágio: um estudo preliminar. Signótica, Goiânia, v. 30, n. 2, p. 149–181, 2018. DOI: 10.5216/sig.v30i2.46558. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/46558. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo