Design thinking no ensino de ciências da natureza

quais são objetivos e aplicações nos trabalhos publicados entre 2010 e 2020?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/revufg.v21.69657

Resumo

A frequente utilização das metodologias ativas na sala de aula vem transformando o âmbito educacional e a relação professor/aluno com o processo de ensino e aprendizagem. A metodologia design thinking (DT) é uma delas e seu uso está começando a se tornar presente nas práticas docentes. No intuito de observar o DT no ensino, esta pesquisa teve como propósito analisar os objetivos e as aplicações dos trabalhos publicados sobre o design thinking no ensino das ciências da natureza. Para isso, realizamos uma revisão sistemática da literatura das publicações entre 2010 e 2020. A pesquisa foi baseada em duas perguntas norteadoras: “Quais os objetivos dos trabalhos publicados sobre o design thinking no ensino das ciências da natureza? E quais aplicações foram realizadas nesses trabalhos?”. Os resultados mostram que a utilização do design thinking, mesmo que crescente nas salas de aula, ainda é pouco utilizada na área das ciências da natureza. Além disso, identificamos sua aplicação de três formas distintas no âmbito educacional (como abordagem de inovação; como metodologia para resolução de problemas; como estratégia de ensino e aprendizagem). Embora existam dificuldades para a inserção dessa metodologia, os trabalhos apontam que para professores e estudantes, quando esta metodologia é aplicada, os resultados são considerados satisfatórios. Por fim, a utilização do design thinking como metodologia ativa no ensino das ciências da natureza pode contribuir para a construção do conhecimento de forma criativa e inovadora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

23-12-2021

Como Citar

NASCIMENTO, R. M. F. do; LEITE, B. S. Design thinking no ensino de ciências da natureza : quais são objetivos e aplicações nos trabalhos publicados entre 2010 e 2020?. Revista UFG, Goiânia, v. 21, n. 27, 2021. DOI: 10.5216/revufg.v21.69657. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/69657. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos