Sistema agroflorestal na agricultura familiar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/revufg.v20.63772

Resumo

Os sistemas agroflorestais (SAFs) quando implantados e conduzidos sob os princípios da agroecologia e com o manejo adequado possibilitam acelerar os processos de regeneração de sistemas ambientais, como na recuperação de áreas degradadas e na produção de alimentos. Neste sentido, objetivou-se com este projeto restaurar uma área improdutiva com a implantação de um sistema agroflorestal em uma propriedade de agricultura familiar no município de Ceres, GO. A metodologia utilizada foi a implantação de um SAF in loco, com participação direta do agricultor e de alunos do IF Goiano – Campus Ceres. No sistema foram introduzidas olerícolas e cultura anual, fruteiras e plantas arbóreas. Após um ano de implantação, o SAF proporcionou incremento no potencial produtivo da área da chácara São Pedro. É uma opção para tornar-se áreas degradadas e/ou não utilizadas/improdutivas em uma área com produção de alimentos, preservação ambiental e promoção do bem estar para as famílias do campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wanderson Moreira dos Santos, Instituto Federal Goiano (IFG), Ceres, Goiás, Brasil, agro.wandsantos@gmail.com

Possui graduação em Agroecologia pelo Instituto Federal de Brasília - Campus Planaltina (2015), formação em Técnico em Agropecuária pelo Instituto Federal de Brasília, Campus Planaltina (2011). Atualmente graduando o curso de Engenharia Agronômica pelo Instituto Federal Goiano, Campus Ceres. Mestrando em Irrigação do Cerrado (IFGoiano - Campus Ceres).

Layanny Robert Faria, Instituto Federal Goiano (IFG), Ceres, Goiás, Brasil, layannyrobert@gmail.com

Técnica em Agropecuária e Engenheira Agrônoma com experiência na área, enfatizando atuação em melhoramento vegetal, produção orgânica e análise de qualidade de sementes. Atualmente é mestranda em Irrigação do Cerrado pelo Instituto Federal Goiano - Campus Ceres

Anderson Fabrício Messias Rocha, Instituto Federal Goiano (IFG), Ceres, Goiás, Brasil, andersonfabricio.agronomia@gmail.com

Técnico em Agropecuária pelo Instituto Federal de Brasília - Campus Planaltina (2013-2015). Atualmente cursa Engenharia Agronômica no Instituto Federal Goiano - Campus Ceres

Luís Sérgio Rodrigues Vale, Instituto Federal Goiano (IFG), Ceres, Goiás, Brasil, luis.sergio@ifgoiano.edu.br

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Goiás (1989); Mestrado em Agronomia (Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1994) e Doutorado em Agronomia (Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1998). Atualmente é professor efetivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano - Campus Ceres. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em pesquisa em Fruticultura (Maracujá, Abacaxi, Banana, Uva, Pitaya e Frutíferas do Cerrado, Propagação de Plantas) e Olericultura (Coordenador do Programa de Melhoramento de Pimentas do IF Goiano - Campus Ceres). Foi Coordenador da Agronomia no período de 2012-2013. É professor do Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio (disciplina de Fruticultura); do Curso de Agronomia (Disciplinas de Fruticultura, Produção e Tecnologia de Sementes, Introdução à Agronomia e Ética e Legislação Profissional) e é professor credenciado no Programa de Pós-Graduação no Mestrado Profissional em Irrigação no Cerrado, do IF Goiano - Campus Ceres (Disciplina de Seminários). Coordenador do Laboratório de Análise de Sementes

Cássio da Silva Kran, Instituto Federal Goiano (IFG), Ceres, Goiás, Brasil, cassiosilvakran@gmail.com

Técnico em agropecuária e Engenheiro Agrônomo pelo Instituto Federal Goiano - Campus Ceres. Atualmente atua com assistência técnica rural.

Downloads

Publicado

2020-07-01

Como Citar

SANTOS, W. M. dos .; FARIA, L. R.; ROCHA, A. F. M.; VALE, L. S. R. .; KRAN, C. da S. . Sistema agroflorestal na agricultura familiar. Revista UFG, Goiânia, v. 20, n. 26, 2020. DOI: 10.5216/revufg.v20.63772. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/63772. Acesso em: 29 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos