O DESTINO DO JORNAL

Autores

  • Lourival Sant'Anna

Resumo

No início da década de 2000, os três principais jornais brasileiros – O Globo, O Estado de São Paulo e Folha de São Paulo – sofreram expressivas quedas na circulação. Em meados da mesma década, a circulação voltou a crescer. Oscilações conjunturais à parte, parece improvável que os grandes jornais voltem a alcançar, algum dia, os recordes registrados em meados dos anos 1990 (quando as edições dominicais da Folha ultrapassavam o milhão de exemplares), impulsionados, é verdade, por agressivas políticas de concessão de brindes, que ficaram conhecidos como ?anabolizantes?. A situação dos três grandes jornais brasileiros espelha uma tendência tanto no âmbito nacional quanto no internacional. A circulação total dos jornais brasileiros também caiu entre 2000 e 2004, recuperando-se a partir de 2005. O aumento de meados da década, no entanto, não acompanhou o crescimento da população, e o número de exemplares por mil adultos continuou em queda. Esse índice também está caindo na maioria dos países em que a informação está disponível para a Associação Mundial de Jornais. Os dados indicam que não só menos pessoas estão lendo jornais, como também que o fazem por menos tempo – tanto no Brasil quanto em muitos países desenvolvidos. A queda da circulação, do número de leitores e do tempo de leitura dos jornais coincide com o período de acirramento da concorrência de outros meios de informação, como a Internet, as TVs por assinatura, as emissoras de rádio noticiosas e até mesmo as revistas semanais informativas. Todos esses meios disputam com os jornais não só a atenção da audiência, mas também as verbas publicitárias — ambos, recursos finitos. (Continua...)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

31-07-2017

Como Citar

SANT’ANNA, L. O DESTINO DO JORNAL. Revista UFG, Goiânia, v. 9, n. 4, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48182. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos