O PROGRESSO DO AUTOMÓVEL

Autores

  • Gustavo Moura de C. Mello

Resumo

O significado da noção de desenvolvimento econômico e social e as possibilidades de se implementá-lo com vistas a garantir o crescimento econômico e o combate às mazelas sociais – malgrado suas vicissitudes e intensidade – nunca deixam de ser objeto de investigações teóricas e de projetos políticos, nem que seja como pura retórica. Uns buscam colocar no topo da agenda política um novo e atual projeto desenvolvimentista; outros apontam as impossibilidades materiais de fazê-lo, chamando a atenção para o fato de que se teriam perdido as oportunidades históricas de superar os “atrasos históricos” e de elevar o país ao padrão de “primeiro mundo”. Negando essa abordagem dualista, tentarei abordar o tema por meio de uma reflexão sobre a indústria automobilística, tão importante e representativa do processo de desenvolvimento que realmente transcorreu no Brasil, sobretudo a partir de meados do século XX. Seja qual for o recorte feito e a perspectiva teórica adotada quando se discute a indústria automobilística ou especificamente o automóvel, em seus aspectos econômicos, técnicos, simbólicos, ou quaisquer outros, em geral ora se desenvolve um discurso laudatório, apresentando apologeticamente os aspectos que se supõem positivos e progressistas – por exemplo, seu dinamismo econômico, sua capacidade de gerar empregos, as comodidades que seu consumo propiciaria; ora, em pólo oposto, propugna-se o caráter regressivo dos veículos automotores, aventando-se os malefícios deste meio de transporte – por exemplo, os danos ambientais, as incontáveis mortes e mutilações provocadas pelos acidentes e pelos poluentes que emitem; ou, ainda, e mais freqüentemente, fazem-se as duas coisas, listando-se os itens daquilo que se consideram as facetas do automóvel. (Continua...)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

31-07-2017

Como Citar

MELLO, G. M. de C. O PROGRESSO DO AUTOMÓVEL. Revista UFG, Goiânia, v. 9, n. 4, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/48177. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Mundo Digital e a Universidade