O PRINCÍPIO DA VEDAÇÃO DE RETROCESSO AMBIENTAL E SUA APLICAÇÃO PELO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL EM FACE DA ANÁLISE DE (IN)CONSTITUCIONALIDADE DAS ÁREAS RURAIS CONSOLIDADAS

Autores

  • Eriberto Francisco Bevilaqua Marin Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, emarin@ufg.br
  • GIOVANI MARTINS DE ARAÚJO MASCARENHAS Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, giiovannimascarenhas@gmail.com https://orcid.org/0000-0001-6363-6418

DOI:

https://doi.org/10.5216/rfd.v45i3.64789

Resumo

A pesquisa trata sobre o princípio da vedação de retrocesso ambiental na perspectiva de sua aplicação, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), nos julgamentos das ações diretas de (in)constitucionalidades interpostas em face da criação das Áreas Rurais Consolidadas, reguladas pela Lei nº 12.651, de 2012, que dispõe sobre a Lei Florestal brasileira. Nesse contexto, faz-se uma abordagem sobre a evolução e compreensão da questão ambiental no cenário global, de regulação do meio ambiente na Constituição Federal brasileira de 1988 e a criação das Áreas Rurais Consolidadas. Na perspectiva de afirmação do princípio da proibição de retrocesso ambiental, no plano normativo e jurisprudencial, analisa-se as decisões do Supremo Tribunal Federal sobre as Áreas Rurais Consolidadas instituídas na Lei Florestal brasileira, de 2012. O princípio da vedação de retrocesso, como garantidor das conquistas ambientais, visa a assegurar proteção ao meio ambiente, bem como de seu desdobramento no dever de progressividade da proteção, seja pelos órgãos estatais ou pelos particulares. Nas decisões do STF, o princípio é citado e analisado em diversas passagens no acórdão, contudo sem a sua efetiva aplicação. O estudo é conduzido por meio de análises de decisões e de construções doutrinárias e conclui que houve uma aplicação incorreta do princípio da vedação de retrocesso ambiental pelo Supremo Tribunal Federal no caso da Lei n.º 12.651/2012.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALEXY, Robert. A teoria dos direitos fundamentais. São Paulo: Malheiros, 2008.
ARAÚJO, Luciane Martins de. Desenvolvimento sustentável: estudo de impacto ambiental e estudo de impacto de vizinhança. Curitiba: Letra da Lei, 2008.
_____. Constituição verde, e agora? Fragmentos de cultura. PUC Goiás. Disponível em: < http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/fragmentos/article/view/2760>. Acesso em 22 fev 2018.
BRASIL. Lei n.º 4.771, de 15 de setembro de 1965. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/Leis/L4771.htm>. Acesso em: 09 mar 2018.
_____. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituiçao.htm>. Acesso em 09 mar 2018.
_____. Lei n.º 12.651, de 25 de maio de 2012. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm>. Acesso em: 27 fev 2018.
BRIGHTON, Claire. Unlikely bedfellows: the evolution of the relationship between environmental protection and development. International and comparative law quarterly, n.º 1, Vol. 66, Jan./2017, University of Cambridge. Cambridge: Reino Unido, p. 209 - 234. In: https://dialnet.unirioja.es/ejemplar/465817, DOI:10.1017/S002058931600052X.
CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Estado constitucional ecológico e democracia sustentada. In: Heline Sivini; LEITE, José Rubens Morato (Orgs.). Estado de Direito ambiental: tendências: aspectos constitucionais e diagnósticos, Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004, p. 3-16.
CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (CNUDS). Sobre a Rio+20. Disponível em: <http://www.rio20.gov.br/sobre_a_rio_mais_20.html>. Acesso em 09 set 2017.
FENSTERSEIFER, Tiago. Direitos fundamentais e proteção do ambiente: a dimensão ecológica da dignidade humana no marco jurídico-constitucional do Estado Socioambiental de Direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2008.
GRANZIERA, Maria Luiza Machado. Direito ambiental. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2011.
LEITE, Icaro Demarchi Araújo. O Direito Internacional do meio ambiente e a aplicação de seus princípios e de suas normas pela empresa. Dissertação de Mestrado em Direito, Universidade de São Paulo, 2011.
MACHADO, Paulo Affonso Leme. Legislação florestal (Lei 12.651/2012), competência e licenciamento ambiental (Lei Complementar 140/2011). São Paulo: Malheiros, 2012.
_____. Direito ambiental brasileiro. 25. ed. São Paulo: Malheiros, 2017.
MILARÉ, Edis. Direito do ambiente: doutrina, prática e jurisprudência, glossário. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2001.
MILARÉ, Edis; MACHADO, Paulo Affonso Leme (orgs.). Novo Código Florestal. 2 ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2013.
MORIN, Edgar. O método 1. A natureza da natureza. Tradução Ilana Heineberg. Porto Alegre: Sulina, 2002.
PRIEUR, Michel. Droit de l'environnement. 6. ed. Paris: Dalloz, 2011.
SAES, Marcos André Bruxel; GULIN, Gleyse; TONON NETO, Nelson. O princípio da proibição do retrocesso e o licenciamento ambiental. Disponível em: <http://www.saesadvogados.com.br/2018/01/10/o-principio-da-proibicao-do-retrocesso-e-o-licenciamento-ambiental/>. Acesso em: 28 de setembro de 2019.
SARLET, Ingo Wolfgang; FENSTERSEIFER, Tiago. Direito constitucional ambiental. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2013.
SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Ação Declaratória de Constitucionalidade n.º 42. Disponível em: https://portal.stf.jus.br/processos/downloadPeca.asp?id=15340792543&ext=.pdf Acesso em: 13 maio 2018.
_____. Ação Direta de Inconstitucionalidade n.º 4901. Disponível em: <http://redir.stf.jus.br/estfvisualizadorpub/jsp/consultarprocessoeletronico/ConsultarProcesso Eletronico.jsf?seqobjetoincidente=4355097> Acesso em: 13 maio 2018.
_____. Ação Direta de Inconstitucionalidade n.º 4902. Disponível em: <http://redir.stf.jus.br/estfvisualizadorpub/jsp/consultarprocessoeletronico/ConsultarProcesso Eletronico.jsf?seqobjetoincidente=4355128> Acesso em 13 maio 2018.
_____. Ação Direta de Inconstitucionalidade n.º 4903. Disponível em: <http://redir.stf.jus.br/estfvisualizadorpub/jsp/consultarprocessoeletronico/ConsultarProcesso Eletronico.jsf?seqobjetoincidente=4355144> Acesso em: 13 maio 2018.
_____. Ação Direta de Inconstitucionalidade n.º 4937. Disponível em: <http://redir.stf.jus.br/estfvisualizadorpub/jsp/consultarprocessoeletronico/ConsultarProcessoEl etronico.jsf?seqobjetoincidente=4388129> Acesso em: 13 maio 2018.
TRENNEPOHL, Terence Dorneles. Manual de Direito ambiental. São Paulo: Saraiva, 2010.

Downloads

Publicado

2022-01-21

Como Citar

BEVILAQUA MARIN, E. F.; MARTINS DE ARAÚJO MASCARENHAS, G. O PRINCÍPIO DA VEDAÇÃO DE RETROCESSO AMBIENTAL E SUA APLICAÇÃO PELO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL EM FACE DA ANÁLISE DE (IN)CONSTITUCIONALIDADE DAS ÁREAS RURAIS CONSOLIDADAS. Revista da Faculdade de Direito da UFG, Goiânia, v. 45, n. 3, 2022. DOI: 10.5216/rfd.v45i3.64789. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revfd/article/view/64789. Acesso em: 23 maio. 2022.