A PSICOLOGIA E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NAS DÉCADAS DE 1910 E 1920: PARTICULARIDADES HISTÓRICAS E CAMPOS DE DIÁLOGO

Autores

  • Rosane Barbosa Marendino

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v34i2.8484

Resumo

O presente artigo busca refletir sobre a psicologia e a formação de professores entre os anos de 1910 a 1930, momento em que o movimento escolanovista ganhava corpo na conjuntura histórica brasileira. Pontos de interesse viriam a identificar vários intelectuais formando uma rede que, dentre várias questões, também discutia a introdução da psicologia na educação e na formação de professores. Partindo do conceito de sociabilidade segundo Simmel e Sirinelli, observa-se que uma estrutura social se formava, influenciada pelos pensamentos desses intelectuais. Mais do que examinar um período estanque, o que o trabalho buscou foi compreender uma época marcada pelo surgimento da psicologia no cenário educacional, traçando subjetividades, acordos, desacordos, afinidades e complexidades importantes de serem desveladas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-12-18

Como Citar

MARENDINO, R. B. A PSICOLOGIA E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NAS DÉCADAS DE 1910 E 1920: PARTICULARIDADES HISTÓRICAS E CAMPOS DE DIÁLOGO. Revista Inter-Ação, Goiânia, v. 34, n. 2, p. 283–306, 2009. DOI: 10.5216/ia.v34i2.8484. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/8484. Acesso em: 23 abr. 2024.