PEDAGOGIAS NEGRAS: O ANTIRRACISMO, O BEM VIVER E A CORPOREIDADE

Autores

  • Edilza Correia Sotero Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, edilzacsotero@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-9945-2597
  • Ilaina Damasceno Pereira Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Brasil, ilaina.damasceno@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-5924-7329
  • Sônia Beatriz dos Santos Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Brasil, soniabsantos@yahoo.com https://orcid.org/0000-0002-4354-5954

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v46i3.70669

Resumo

As pedagogias negras compreendem modos de fazer, pensar e ser capazes de transformar e questionar conhecimentos e práticas já estabelecidos nas pedagogias ocidentais. Também problematizam as próprias propostas gestadas no âmbito das práticas negras de ensinar e aprender. Num esforço de compreensão, discutimos antirracismo, pensamento de mulheres negras e corporeidades à luz de três estratégias metodológicas – multiplicidade, complexidade e interdependência, revelando compressões sobre os processos de aprender-ensinar-criar que configuram as pedagogias negras. Por fim, consideramos que essas pedagogias mobilizam a luta pelos direitos em suas várias dimensões, em especial o direito à diferença, enquanto direito fundamental e inalienável.

PALAVRAS-CHAVE: Pedagogias Negras. Antirracismo. Mulheres Negras. Corporeidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edilza Correia Sotero, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Bahia, Brasil, edilzacsotero@gmail.com

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (2006), mestrado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (2010) e doutorado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (2015). Realizou Pós-Doutorado na Brown University (2015-2016). Atualmente é Professora Adjunta no Departamento de Educação I da Universidade Federal da Bahia.

Ilaina Damasceno Pereira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Brasil, ilaina.damasceno@gmail.com

Doutora em Geografia pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Mestre em Geografia pela Universidade Federal doo Ceará (UFC). Licenciada e bacharel em Geografia pela Universidade do Estado do Ceará (UECE). Atualmente, é professora adjunta do Departamento de Estudos Aplicados ao Ensino da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Campus Maracanã.

Sônia Beatriz dos Santos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Brasil, soniabsantos@yahoo.com

Possui Pós-doutorado em Raça, Gênero e Política Pública, pelo Hubert H. Humphrey Institute of Public Affairs, University of Minnesota (2008-2009). É Ph.D. em Antropologia Social pela University of Texas at Austin (2008) com especialização em Diáspora Africana; e mestre em Sociologia com concentração em Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000). É Professora Adjunta da Faculdade de Educação, Departamento de Ciências Sociais e Educação, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Downloads

Publicado

2021-12-24

Como Citar

SOTERO, E. C. .; PEREIRA, I. D.; SANTOS, S. B. dos. PEDAGOGIAS NEGRAS: O ANTIRRACISMO, O BEM VIVER E A CORPOREIDADE. Revista Inter Ação, Goiânia, v. 46, n. 3, p. 1314–1329, 2021. DOI: 10.5216/ia.v46i3.70669. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/70669. Acesso em: 19 maio. 2022.