VIOLÊNCIA, GÊNERO E ADOÇÃO

Autores

  • Veralúcia Pinheiro

DOI:

https://doi.org/10.5216/ia.v28i1.1443

Resumo

Propõe-se, no presente artigo, discutir questões relacionadas à educação familiar, violência e adoção, a partir da experiência de Patrícia, uma menina que, por várias vezes, foi “adotada” e devolvida às instituições sociais que abrigam crianças abandonadas. Essa condição de mercantilização do sujeito e sua transformação em objeto é discutida a partir da interlocução com os autores que se debruçaram sobre estudos e pesquisas para compreender questões como valores, violência e cultura. Assim, as diversas concepções de educação, violência e vida familiar são problematizadas, e o aparente consenso em torno da adoção no Brasil, amplamente divulgado como a melhor forma de solucionar a questão do abandono social, econômico e afetivo em que se encontra significativo número de crianças, é abordado na perspectiva de evidenciar o lado que permanece oculto na sociedade contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-08-14

Como Citar

PINHEIRO, V. VIOLÊNCIA, GÊNERO E ADOÇÃO. Revista Inter-Ação, Goiânia, v. 28, n. 1, p. 103–117, 2007. DOI: 10.5216/ia.v28i1.1443. Disponível em: https://revistas.ufg.br/interacao/article/view/1443. Acesso em: 26 fev. 2024.