Educação, trabalho e cidadania no início do século XX:

a Universidade Popular de Piracicaba (1910-1921)

Autores

  • Cesar Romero Vieira Universidade Metodista de Piracicaba
  • Ana Clara Bortoleto Nery Universidade Estadual Paulista - UNESP
  • Tony Honorato Universidade Estadual de Londrina - UEL

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v27i1.74231

Palavras-chave:

Educação Popular, Universidade Popular de Piracicaba, Formação do Trabalhador

Resumo

Piracicaba, interior de São Paulo, foi palco de uma experiência de educação popular ímpar, no Brasil – pois teve caráter distinto de sua congênere denominada Universidade Popular de Ensino Livre do Rio de Janeiro (1904). A Universidade Popular de Piracicaba, inspirada em valores positivistas e republicanos teve como proposta inicial a vulgarização das ciências e das artes e tornou-se uma espécie de confraria da elite intelectual local. Nosso objetivo, neste artigo, será investigar as estratégias que deram origem a criação desta Universidade, e tentar, dentro dos limites que aqui se impõem, compreender por que seus traços constitutivos se distanciam tanto da experiência anterior, se a princípio, as duas instituições são originárias de uma mesma fonte. Partindo da análise de documentos da instituição e da imprensa periódica foi possível perceber as formas pelas quais ela se manteve ativa por pouco mais de 10 anos oferecendo formação física, científica e cultural para a população operária sob o olhar atento dos intelectuais locais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cesar Romero Vieira, Universidade Metodista de Piracicaba

Doutor em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo - UMESP (1993 e 2000) e Doutor em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP (2006). Possui graduação em Teologia (1985) e Filosofia (1995). É professor no Programa de Pós-Graduação em Educação da UNIMEP no Núcleo História e Filosofia da Educação

Ana Clara Bortoleto Nery, Universidade Estadual Paulista - UNESP

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, com Pós-Doutorado pela Universidade de Lisboa e pela Universidade de São Paulo (USP). Professora adjunta (livre-docente) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP).

Tony Honorato, Universidade Estadual de Londrina - UEL

Pós-doutor em Educação pela Faculdade de Filosofia e Ciências/FFC da Universidade Estadual Paulista (FFC/UNESP, 2015), Doutor em Educação Escolar pela Faculdade de Ciências e Letras/FCLAr da UNESP (2011), Mestre em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP, 2005) e Graduado em Educação Física pela Faculdade de Ciências e Tecnologias (FCT/UNESP (2002). Líder do Grupo de Pesquisa Processos Civilizadores (Diretório CNPq), membro do Laboratório de Ensino e Pesquisa em História da Educação (LEPHE/CNPq) e membro do Grupo de Pesquisa A sociologia figuracional de Norbert Elias (UNIFESP/CNPq). É membro da Figurational Network e é Fellow of "Norbert Elias Foundation". Membro Sócio da Sociedade Brasileira de História da Educação (SBHE) e da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED). Atualmente é Professor Associado AS-B do Departamento de Educação da Universidade Estadual de Londrina/UEL, atuando na Graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPEdu - Linha de Pesquisa: Perspectivas Filosóficas, Históricas, Políticas e Culturais da Educação). 

Referências

A PROVÍNCIA DE SÃO PAULO. Edição publicada em 20 de outubro de 1875, p. 2.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de ; BARREIRA, Luís Carlos ; NERY, Ana Clara B. Antonio Firmino de Proença na imprensa de educação e ensino. In: Marcia de Paula Gregorio Razzini. (Org.). Antonio Firmino de Proença: professor, formador, autor. 1ed.São Paulo: Porto de Idéias, 2010, v. 1, p. 61-80.

CASTRO, Rosane Michelli. João Lourenço Rodrigues (1869-1954): uma autoridade na esfera da instrução pública e intelecual paulista. In: Lis Angelis Padilha de Menezes. (Org.). Educadores paulistas: histórias de vida e ações no âmbito educacional. Campinas, SP: Editora Autores Associados, 2022, p. 131-140.

CORTESÃO, Jaime. (1912b, novembro). As universidades populares I: sua missão e necessidade em Portugal. A Vida Portuguesa. Disponível em: http://ric.slhi.pt/A_Vida_Portuguesa/visualizador?id=10072.001.003&pag=3. Acesso 20/09/2022.

DEHERME, Georges. Les universités populaires en France. La Coopération des Idées. n. 39, avril 1899, p. 33-36. Disponível em: https://georgesdeherme.fr/fileadmin/site/Periodiques/Cooperation__La__des_idees_1896-1900/18990400__n__39__avril_1899.pdf. Acesso, 29/09/2022.

FOLHETO DE PROPAGANDA: Inauguração da Universidade Popular de Piracicaba. São Paulo: Typographia Brazil de Rothschild & Cia, 1910.

GAZETA DE PIRACICABA. Edição publicada em 19 de agosto de 1910, p. 1 e 2.

GHIRALDELI JR, Paulo. Educação e Movimento operário no Brasil. São Paulo: Cortez, 1987.

GILIOLI, Renato de S Porto. ‘ILIOLI, Renato de Sousa P a pedagogia do canto orfeorto. BrasilemPeriodiques/Cooperation__La__des_idees_1896-1900/18990400__n__39__avril_1899.pdftuição Faculdade Educação. Universidade de São Paulo, 2003.

GODOY, Joaquim Floriano de. A província de S. Paulo: trabalho estatístico, histórico e noticioso. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: FUNDAP, 2007.

HONORATO, Tony. Honorato Faustino de Oliveira (1867-1948): uma trajetória educacional no interior. In: Lis Angelis Padilha de Menezes. (Org.). Educadores paulistas: histórias de vida e ações no âmbito educacional. Campinas, SP: Editora Autores Associados, 2022, p. 73-84.

JORNAL DE PIRACICABA. Universidade Popular – convite. Edição publicada em 2 de setembro de 1910a, p. 02.

JORNAL DE PIRACICABA. Universidade Popular. Edição publicada em 10 de setembro de 1910b, p. 01.

JORNAL DE PIRACICABA. Universidade Popular. Edição publicada em 23 de dezembro de 1910, p. 01.

JORNAL DE PIRACICABA. Conferencia Von Iehring: Devastação de Mattas. Edição publicada em 30 de dezembro de 1910, p. 01.

LABOY, Roberto Gutiérrez. A filosofia educativa de Eugenio María de Hostos. Revista Brasileira de. Educação. vol.16, n.46, p. 51-67, 2011.

LAMELA, Eduardo Carracelas. Da instrução dos trabalhadores populares à revolução social: a formação da Universidade Popular de Ensino Livre no Rio de Janeiro em 1904. 2012, 183 f. Dissertação (Mestrado em História) Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de História, Rio de Janeiro, 2012.

MERCIER, Lucien. La educación popular a través de la universidad popular em la Francia del siglo XX. Salamanca: Revista Interuniversitaria, n. 20, p. 117-135, 2001.

NEME, Mario. História da fundação de Piracicaba. Piracicaba: IHGP, 1974.

NERY, Ana C B; VIEIRA, Cesar R. A. Popular University of Piracicaba: a proposal of popular education. In: International Standing Conference for the History of Education 37, 2015. v. 1. p. 261-262.

PERECIN, Marly T G. Os passos do saber: a Escola Agrícola Prática Luiz de Queiroz. São Paulo: EDUSP, 2004.

PINTASSILGO, Joaquim. O debate sobre as universidades populares na imprensa portuguesa de educação e ensino. O exemplo de “A Vida Portuguesa” – 1912-1915. Revista HISTEDBR On-line, 24, 2006, p. 93-101. Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/revis.html

PINTASSILGO, Joaquim. As universidades populares nas primeiras décadas do século XX em Portugal – o exemplo da Academia de Estudos Livres. CARVALHO, M.M.C. de; PINTASSILGO, Joaquim. (orgs). Modelos Culturais, Saberes Pedagógicos, Instituições Educacionais. São Paulo: EDUSP, 2011, p. 215-43.

VALENTE, S.M.P. O movimento anarquista no Brasil. Semina, Londrina, 15(3), set.1994, p.260-9.

Downloads

Publicado

2023-05-30

Como Citar

VIEIRA, C. R.; NERY, A. C. B.; HONORATO, T. Educação, trabalho e cidadania no início do século XX: : a Universidade Popular de Piracicaba (1910-1921). História Revista, Goiânia, v. 27, n. 1, p. 191–207, 2023. DOI: 10.5216/hr.v27i1.74231. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/74231. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: História, trabalho e cidadania