O Ensino de História nos tempos atuais de instabilidade política e econômica no Brasil

um estudo de caso no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v24i3.62207

Resumo

Este artigo apresenta os resultados provenientes de trabalho de iniciação científica em História, desenvolvido no Ensino Médio O objetivo foi refletir acerca do ensino de história no Brasil dos dias atuais – suas principais tendências, limites, disputas e desafios. Consistiu no levantamento e na organização de dados quantitativos e qualitativos no interior do campus Goiânia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, precedido pelo levantamento e análise de material jornalístico e de legislação concernentes ao ensino de história, em específico, e de humanidades em geral. Esta pesquisa buscou ainda refletir sobre a percepção que docentes e discentes desta instituição possuem sobre a importância e significados do ensino de história para a formação profissional e cidadã. Para isso, comparamos e analisamos as percepções apresentas frente as importantes polêmicas e mudanças da atual conjuntura, pautadas pela grande mídia e expressas em alterações das legislações educacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Affonso Penna, Instituto Federal de Goiás - IFG

Doutora em História pela Universidade Federal Fluminense (2016), com período sanduíche em École des Hautes Études en Sciences Sociales (2014). Atualmente é professora da Licenciatura em História, do Ensino Técnico Integrado ao Ensino Médio e supervisora do Laboratório de Ensino de História (LEHIS) no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG).

Downloads

Publicado

2020-06-01

Como Citar

PENNA, M. A. O Ensino de História nos tempos atuais de instabilidade política e econômica no Brasil: um estudo de caso no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás. História Revista, Goiânia, v. 24, n. 3, p. 87–107, 2020. DOI: 10.5216/hr.v24i3.62207. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/62207. Acesso em: 2 jul. 2022.