Narrativas de milagres

a sacralização da justiça profana (Portugal, século XIV)

Autores

  • Maria Filomena Coelho

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v24i1.56899

Resumo

Este artigo analisa alguns exemplos registrados no Manuscrito 01, que se encontra na Seção de Obras Raras (OBR), da Biblioteca Central do Estudante (BCE) da Universidade de Brasília (UnB). Intitulado, na tradição bibliotecária da UnB, como Flos Sanctorum, trata-se na verdade de narrativas de milagres e de vidas de “santos padres”, cuja produção data, provavelmente, do século XIV, realizada em âmbito monástico, no norte de Portugal. O corpus conta com 143 exempla e milagres, devidamente assinalados sob forma de rubricas. O principal sentido que se pretende destacar dos exemplos selecionados é o da justiça divina que, como um truísmo, manifesta-se em todas as narrativas. Entretanto, as lógicas pelas quais essa justiça se realiza são oriundas da experiência política e social terrena, o que termina por sacralizar o poder profano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-07-22

Como Citar

COELHO, M. F. Narrativas de milagres: a sacralização da justiça profana (Portugal, século XIV). História Revista, Goiânia, v. 24, n. 1, p. 118–134, 2019. DOI: 10.5216/hr.v24i1.56899. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/56899. Acesso em: 10 dez. 2022.