A DUPLICIDADE TRANSPARENTE: UM ENSAIO HISTORICISTA SOBRE METROPOLIS E M - O VAMPIRO DE DÜSSELDORF, DE FRITZ LANG

Autores

  • Pedro Spinola Pereira Caldas Professor do Instituto de História da Universidade Federal de Uberlândia.

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v13i1.5423

Resumo

A proposta deste ensaio consiste em aplicar a categoria desenvolvida por Thomas Elsaesser para compreender as figuras proeminentes da cultura de Weimar, a saber: duplicidade transparente. Segundo Elsaesser, os intelectuais de Weimar sabiam mais de si mesmo do que qualquer crítico ou historiador da cultura poderia saber. Com o fito de ilustrar esse conceito, este ensaio lida com Metropolis e M - O vampiro de Düsseldorf, dois filmes de Fritz Lang que não foram analisados por Elsaesser sob tal categoria, o que pode ser útil para uma abordagem historicista do período de Weimar.

 

PALAVRAS-CHAVE: República de Weimar, cinema alemão, Fritz Lang.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Spinola Pereira Caldas, Professor do Instituto de História da Universidade Federal de Uberlândia.

 

Downloads

Publicado

2009-01-16

Como Citar

CALDAS, P. S. P. A DUPLICIDADE TRANSPARENTE: UM ENSAIO HISTORICISTA SOBRE METROPOLIS E M - O VAMPIRO DE DÜSSELDORF, DE FRITZ LANG. História Revista, Goiânia, v. 13, n. 1, 2009. DOI: 10.5216/hr.v13i1.5423. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/5423. Acesso em: 1 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos