Ensinando história e disseminando estereótipos

os janízaros do grande turco em compêndios do século XIX

Autores

  • José Henrique Rollo Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.5216/hr.v25i1.44944

Resumo

Uma análise da presença dos Janízaros, os escravos-soldados do Império Otomano, em alguns manuais de história utilizados em escolas europeias e americanas durante o século XIX mostra nexos interessantes entre valores políticos, crenças morais, estereótipos e a escrita/ensino da história dos povos orientais. O artigo explora brevemente alguns desses nexos, principalmente, como os autores conectaram suas exposições dos Janízaros com (a) o culto ao modelo idealizado de família cristã ocidental; (b) a imagem dos governos orientais como Despotismos; (c) a valorização do patriotismo e da lealdade nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Henrique Rollo, Universidade Estadual de Maringá

Doutor em História Comparada pela UFRJ. Professor do Departamento de História, do Mestrado Profissional em Políticas Públicas/Departamento de Ciências Sociais e do Mestrado Profissional em Ensino de História. Coordenador do Laboratório de Estudos Americanos, Africanos e Orientais (Leeao) e pesquisador do Laboratório de Arqueologia, Etnologia e Etnohistória (Laee/Tulha) da Universidade Estadual de Maringá.

Downloads

Publicado

2020-08-27

Como Citar

ROLLO, J. H. Ensinando história e disseminando estereótipos: os janízaros do grande turco em compêndios do século XIX. História Revista, Goiânia, v. 25, n. 1, p. 73–92, 2020. DOI: 10.5216/hr.v25i1.44944. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/44944. Acesso em: 7 jul. 2022.