O corpo que nada esquece: sensibilidade, percepção e memórias corporais

Autores

  • Yara Aparecida Couto Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos, São Paulo, Brasil, yaracouto@ufscar.br
  • Daniela Frizzon Zamboni Universidade Federal de São Carlos São Carlos (UFSCAR), São Paulo, Brasil, dfz_1@hotmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v24.61121

Palavras-chave:

Corpo. Percepção. Sensibilidade. Estética.

Resumo

O ser humano, ao longo da vida, pouco explora de suas experiências
corporais, sua sensibilidade às emoções e a expressão de
seus desejos. Este estudo objetivou investigar o impacto do processo de
conscientização do corpo pelas práticas corporais holísticas (PCH). Tais
práticas integram o campo físico, emocional, mental e espiritual nas esferas
do fazer, perceber, sentir, imaginar e criar. Detalhamos o estudo
de caso realizado com uma pessoa participante que vivenciou nas PCH
a percepção de si mesma e o enfrentamento de seus conflitos. As vivências
corporais encorajaram a reflexão pessoal acerca da confiança
nos momentos de repulsa e baixa autoestima, bem como favoreceram a
percepção das memórias corporais, da sensibilidade a fim de reverberar
o pertencimento e a autoria de si.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yara Aparecida Couto, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos, São Paulo, Brasil, yaracouto@ufscar.br

https://orcid.org/0000-0003-1851-4889

Downloads

Publicado

02-06-2021

Como Citar

Aparecida Couto, Y., & Zamboni, D. F. (2021). O corpo que nada esquece: sensibilidade, percepção e memórias corporais. Pensar a Prática, 24. https://doi.org/10.5216/rpp.v24.61121

Edição

Seção

Artigos Originais