Para onde eu devo mandar esse artigo?

Autores

  • Lucas Cardoso Marinho Universidade Federal do Maranhão (UFMA), São Luís, MA, Brasil, lc.marinho@ufma.br
  • Márcia Mineiro Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Vitória da Conquista, BA, Brasil, periciacontroladoria@yahoo.com.br
  • Mariana Guelero do Valle Universidade Federal do Maranhão (UFMA), São Luís, MA, Brasil, mariana.valle@ufma.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v24.65494

Palavras-chave:

Academia, Comunicação, Publicação científica, Revista

Resumo

Parece até contraditório que quanto mais revistas científicas existam, menos objetivo se torna o processo de submeter um manuscrito, pois são muitas variáveis a serem levadas em consideração. Neste sentido, durante o processo de escolha de um periódico é preciso se perguntar: i) O que quero dizer?; ii) Para quem quero dizer?; iii) Qual o alcance que quero ter? De posse das respostas para estes questionamentos é possível que a escolha se torne um pouco menos difícil. Aqui nós discutimos as questões que envolvem a escolha de um periódico para a publicação de artigos científicos e apresentamos possíveis caminhos para auxiliar o jovem cientista nesta árdua decisão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Cardoso Marinho, Universidade Federal do Maranhão (UFMA), São Luís, MA, Brasil, lc.marinho@ufma.br

Biólogo e professor de Sistemática de Fanerógamas do Departamento de Biologia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Mestre e doutor em Botânica, pela Universidade Estadual de Feira de Santana. Coordena o Grupo de Pesquisa em Sistemática e Taxonomia de Angiospermas (Taxa).

Márcia Mineiro, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Vitória da Conquista, BA, Brasil, periciacontroladoria@yahoo.com.br

Pedagoga e contadora, professora assistente na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), mestre em Contabilidade, doutoranda em Educação. Pesquisadora dos grupos de Pesquisa em Educação, Didática e Ludicidade (GEPEL) na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Educação Contábil na Contemporaneidade (GPEC) na UESB.

Mariana Guelero do Valle, Universidade Federal do Maranhão (UFMA), São Luís, MA, Brasil, mariana.valle@ufma.br

Professora do Departamento de Biologia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Mestra e doutora em Educação pela Faculdade de Educação da USP (FE/USP) e licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (FFCLRP/USP). Atua também como professora credenciada no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências (PPECEM/UFMA) e no Programa de Pós-Graduação em Gestão de Ensino da Educação Básica (PPGEEB/UFMA). É coordenadora do Grupo de Pesquisa em Ensino de Ciências e Biologia (GPECBio).

Referências

ALBUQUERQUE, Ulysses P. de. Conselhos a um jovem cientista. Recife: NUPPEA, 2011.

AZAR, Ofer H. The slowdown in first-response times of economics Journals: Can it be beneficial? Economic Inquiry, v.45, n. 1, p. 179-187, 2007.

BECKER, Howard S. Truques da escrita: para começar e terminar teses, livros e artigos. Rio de Janeiro: Zahar, 2015.

BIANCHETTI, Lucídio. Os dilemas do coordenador de programa de pós-graduação:

Entre o burocrático-administrativo e o acadêmico-pedagógico. In: BIANCHETTI,

L; SGUISSARDI, V. Dilemas da pós-graduação em educação: gestão e avaliação.

Campinas: Autores Associados, 2009.

BIANCHETTI, Lucídio; VALLE, Ione R. Produtivismo acadêmico e decorrências às condições de vida/trabalho de pesquisadores brasileiros e europeus. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 22, n. 82, p. 89-110, jan./mar. 2014.

BIANCHETTI, Lucídio; VALLE, Ione R.; PEREIRA, G. R. M. O fim dos intelectuais acadêmicos? Induções da Capes e desafios às associações científicas. Campinas, SP: Autores Associados, 2015.

BIANCHETTI, Lucídio; MARTINS, Francini S. O discente da pós-graduação stricto sensu: desistências e resistências, induções externas e adoecimentos. In: CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA, 10., 2018, Porto Alegre. Anais [....]. Porto Alegre: ediPUCRS, 2018. v. 1. p. 1-14.

BOAVENTURA, Edivaldo M. Como ordenar as ideias. São Paulo: Ática, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer nº 977, 3 de dezembro de 1965. Definição dos cursos de pós-graduação. Brasília: MEC, 1965. Disponível em:

https://www.scielo.br/j/rbedu/a/NsLTtFBTJtpH3QBFhxFgm7L/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 3 nov. 2020.

CARIBÉ, Rita de Cássia do V. Comunicação científica: reflexões sobre o conceito. Informação & Sociedade: Estudos, v. 25, n. 3, p. 89-104, 2015.

DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. A disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. (org.). O planejamento da pesquisa qualitativa: teoria e abordagens. 2 ed. reimp. Porto Alegre, 2010.

FERREIRA, Aloízio S.; ABREU, Márvio L.T. de. Desconstruindo um artigo científico. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 1, n. 36, p. 377-385, 2007.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: três artigos que se completam. 49. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

GUANAES, Paulo Cezar Vieira. Modelos de gestão de periódicos científicos eletrônicos em acesso livre: estudo para um modelo de gestão sustentável na área de saúde pública. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Comunicação e Informação da Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2011.

HUISMAN, Janine; SMITS, Jeroen. Duration and quality of the peer review process: the author’s perspective. Scientometrics, v. 113, p. 633-650, 2017.

KUENZER, Acácia; MORAES, Maria. Célia. Temas e tramas na pós-graduação em educação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 93, p. 1341-1363, 2005.

LEITE, Fernando; CODATO, Adriano. Autonomização e institucionalização da Ciência Política brasileira: o papel do sistema Qualis-Capes. Revista de Discentes de Ciência Política da UFSCAR, v. 1, n. 11, p. 1-21, 2013.

MACK, Chris. How to write a good scientific paper. Spie Press: Bellingham, Washington USA, 2018. 124p.

MARQUES, Fabrício. Escreva bem ou pereça. Pesquisa Fapesp, n. 182, p. 34-39, 2011. Disponível em:

https://revistapesquisa.fapesp.br/wp-content/uploads/2011/04/034-039-182.pdf. Acesso em: 3 nov. 2020.

OLIVEIRA, Oswaldo; ZUCOLOTTO, Waltencir; ALUISIO, Sandra. Developing strategies to produce better scientific papers: a recipe for non-native users of English. New York: Cornell University Library, 2006.

PEREIRA, Mauricio. Dez passos para produzir artigo científico de sucesso. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 3. n. 26, p. 661-664, 2017.

PINTO, Angelo C.; ANDRADE, Jailson B. de. Fator de impacto de revistas científicas: qual o significado deste parâmetro? Química Nova, v. 22, n. 3, p. 448-453, 1999.

ROBREDO, Jaime. Indexação e recuperação da informação na era das publicações virtuais. Comunicação & Informação, v. 2, n. 1, p. 83-97, 1999.

SAINT-EXUPÉRY, Antoine de. O pequeno príncipe. 49. ed. Rio de Janeiro: Agir, 2015.

SGUISSARDI, Valdemar.; SILVA JÚNIOR, João dos Reis. Trabalho intensificado nas federais: pós-graduação e produtivismo acadêmico. São Paulo: Xamã, 2009.

SOARES, S. R.; CUNHA, M. I. da. Formação do professor: a docência universitária em busca da legitimidade. Salvador: EDUFBA, 2010.

VOSGERAU, Dilmeire S. R.; ORLANDO, Evelyn A.; MEYER, Patrícia. Produtivismo acadêmico e suas repercussões no desenvolvimento profissional de professores universitários. Educação & Sociedade, v. 38, p. 231-247, 2017.

ZABALZA, Miguel A. O ensino universitário: seu cenário, seus protagonistas. Porto Alegre:

Artmed, 2004.

ZINSSER, William. Como escrever bem: O clássico manual americano de escrita jornalística e de não ficção. 2. reimp. São Paulo: Três Estrelas, 2017.

Downloads

Publicado

20-08-2021

Como Citar

CARDOSO MARINHO, L.; MINEIRO, M.; GUELERO DO VALLE, M. Para onde eu devo mandar esse artigo?. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 24, 2021. DOI: 10.5216/ci.v24.65494. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/65494. Acesso em: 17 out. 2021.