O discurso de superação da deficiência física no documentário brasileiro:

o caso Pauê – o passo do vencedor

Autores

  • Almir Bonfim Junior Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), São Paulo, Brasil, almir.rtv@gmail.com.br
  • João Batista Freitas Cardoso Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), São Paulo, Brasil, e-mail: jbfcardoso@uol.com.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v25.63880

Palavras-chave:

Análise do Discurso, Documentário, Deficiência Física, Semântica do Discurso, Linguagem Audiovisual

Resumo

Evidencia, por meio de elementos da análise do discurso, utilizando seus mecanismos sintáxicos e semânticos encarregados da produção de sentido, as estratégias de estruturação e de construção da narrativa no documentário brasileiro que promova um discurso de superação de personagens protagonistas com deficiência física. Foram utilizados, como teoria de base, os estudos de Fiorin (2008). Observou-se na análise que a competência e performance são as duas fases canônicas mais relevantes para o desenvolvimento do discurso de superação. Enquanto a oposição semântica - perfeição versus imperfeição-, apresentada ao longo da produção, aliada ao seu percurso figurativo, classificam a deficiência como um elemento semântico disfórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Almir Bonfim Junior, Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), São Paulo, Brasil, almir.rtv@gmail.com.br

Graduado em Rádio e TV pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) em 2009. Mestrando no programa de Mestrado Profissional em Inovação na Comunicação de Interesse Público na USCS. Finalista do Expocom 2010, etapa Sudeste, com o Trabalho de Conclusão de Curso "Intocável - Um documentário Sobre Fé". Fez estágio no SBT. Trabalhou como vídeomaker, produtor, editor e finalizador no núcleo de comunicação da ONG Avape. Foi sócio proprietário da Produtora Junção3, na qual desenvolveu vídeos para comunicação interna da Scania Latin America e Pirelli. Recebeu Menção Honrosa no Concurso de Clipes e Bandas 2012 pela realização do videoclipe "Rota de Colisão" da banda Inocentes. Foi Produtor Comercial no departamento de Mídia da NET/CLARO S/A e diretor de fotografia e finalizador do canal de terror Lenda Urbana Brasil. Atualmente é Desenvolvedor de Conteúdo Web no Departamento de Comunicação Interna do Conglomerado de Turismo CVC Corp. Participa do Programa de Preparação Pedagógica e Aperfeiçoamento ao Ensino na Graduação em Comunicação Social na USCS como professor auxiliar (Escola da Indústria Criativa).

João Batista Freitas Cardoso, Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), São Paulo, Brasil, e-mail: jbfcardoso@uol.com.br

Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, com Pós-doutorado em Comunicação pela ECA-USP. Professor no PPGCOM da USCS e no CCL da UPM.

Referências

ALBUQUERQUE, Marcio de Alves. A pessoa com deficiência e suas representações no cinema brasileiro. 2008. 86 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Comunicação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008. Disponível em: http://www.ppgcom.uerj.br/teses/2008/pdf/03/Dissert-Marcio%20Albuquerque_Bdtd.pdf. Acesso em: 3 fev. 2022.

BRASIL. Ministério do Trabalho. Secretaria de Inspeção do Trabalho. Caracterização das Deficiências. Brasília: Ministério do Trabalho, 2018. Disponível em: https://sinicesp.org.br/inclusao/publica%C3%A7%C3%B5es/orientacoes%20_pcd_2018.pdf. Acesso em: 3 fev. 2022.

FABRI, Hélcio Prado; FISCHER, Sandra. Os “freak shows” e os espetáculos dos corpos monstruosos na gênese da indústria cinematográfica. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 40., 2017, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: Intercom, 2017. Disponível em: http://portalintercom.org.br/anais/nacional2017/resumos/R12-3259-1.pdf. Acesso em: 3 fev. 2022.

FIORIN, José Luiz. Elementos de análise do discurso. São Paulo: Contexto, 2008.

HAYES, Michael T.; BLACK, Rhonda S. Troubling signs: disability, hollywood movies and the construction of a discourse of pity. Disability Studies Quarterly, Hawaii, v. 23, n. 2, p. 114-132. maio 2003. Disponível em: https://dsq-sds.org/article/view/419/586. Acesso em: 3 fev. 2022.

IBGE. Censo Demográfico 2010: características gerais da população, religião e pessoa com deficiência. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: https://is.gd/wUktyr. Acesso em: 3 fev. 2022.

LANGMOORE, Paul. Screening stereotypes: images of disabled people in television and motion pictures. Philadelphia: Temple University Press, 2003.

LINS, Consuelo; MESQUITA, Cláudia. Filmar o real: sobre o documentário brasileiro contemporâneo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

MELO, C. T. V. DE. O documentário como gênero audiovisual. Comunicação & Informação, v. 5, n. 1/2, p. 25-40, 13 maio 2013. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/24168/14059. Acesso em: 3 fev. 2022.

NICHOLS, Bill. Introdução ao documentário. Campinas: Papirus, 2005. (Coleção Campo Imagético).

PAUÊ - o passo de um vencedor. Direção: Alessandra Pereira; Fabio Cappellini. [s. l. : s. n], 2015. 1 vídeo (72 min.). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ka_tpNUgEKA. Acesso em: 3 fev. 2022.

PERIAGO, Francisco Redondo. A análise discursiva no documentário Ônibus 174. 2016. 232 f. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2016.

PISA, Lícia Frezza. Análise do discurso: conceitos e aplicações. Pouso Alegre: Lume, 2018.

Downloads

Publicado

2022-05-24

Como Citar

BONFIM JUNIOR, A.; CARDOSO, J. B. F. . O discurso de superação da deficiência física no documentário brasileiro: : o caso Pauê – o passo do vencedor. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 25, 2022. DOI: 10.5216/ci.v25.63880. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/63880. Acesso em: 10 ago. 2022.