Midiatização das sociedades pós-industriais:

os efeitos transformadores da cultura da mídia

Autores

  • Francys Albrecht da Rosa Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, email: ar.francys@gmail.com
  • Aline Roes Dalmolin Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, email: dalmoline@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v24.62550

Palavras-chave:

Midiatização, Cultura Midiática , Comunicação Midiática, Multiplataformas

Resumo

O objetivo deste trabalho é tecer uma reflexão teórica que contemple a compreensão da midiatização como um processo histórico resultante das transformações pós-industriais (VERÓN, 1997) e culturais (MATA, 1999) nas sociedades modernas. É intenção desta pesquisa suscitar  uma discussão que permita compreender este fenômeno que envolve mídia, sociedade e processos sociais como um agente transformador (HEPP, 2014) das interações, relações com a mídia, do fazer midiático e instaurador de novas práticas e de uma lógica não-linear da produção de sentido em um contexto de multiplataformas, a partir da passagem da sociedade dos meios para a sociedade em midiatização (FAUSTO NETO, 2008).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francys Albrecht da Rosa, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, email: ar.francys@gmail.com

Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria, Bacharel em Jornalismo e Graduando em Ciências Sociais pela mesma instituição. E-mail: ar.francys@gmail.com

Aline Roes Dalmolin, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil, email: dalmoline@gmail.com

Professora do Departamento de Ciências da Comunicação e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria, doutora e mestre em Ciências da Comunicação pela Unisinos. Líder do grupo de pesquisa do CNPq Circulação Midiática e Estratégias Comunicacionais. E-mail: dalmoline@gmail.com

Referências

BECK, Ulrich. La sociedad Del Riesgo. Barcelona: Paidós Ibérica, 2002.

COULDRY, Nick. Crise de relegitimação: além da compulsão de uma vida saturada de mídia. Revista Líbero, São Paulo, v. 19, n. 37, p. 19-28, jan./jun. de 2016.

FAUSTO NETO. Fragmentos de uma analítica da midiatização. Revista Matrizes, São Paulo, n. 2, p. 89-105, abr. 2008.

HEPP, Andreas. As configurações comunicativas de mundos midiatizados: pesquisa da midiatização na era da “mediação de tudo”. Revista Matrizes, São Paulo, n. 1, p. 45-64, jan./jun. 2014.

HJARVARD, Stig. Midiatização: conceituando a mudança social e cultural. Revista Matrizes, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 21-44, jan./jun. 2014.

MATA, María Cristina. De la cultura masiva a la cultura mediática. Revista Diálogos de la comunicación, Lima, p. 80-91, 1999.

SIMMEL, Georg. As grandes cidades e a vida do espírito. Mana - Estudos de Antropologia Social, v. 11, n. 2, p.577-591, 2005.

VERÓN, Eliseo. Esquema para el análisis de la mediatización. Revista Diálogos de la Comunicación, Lima, n. 48, 1997.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

ROSA, F. A. da .; DALMOLIN, A. R. . Midiatização das sociedades pós-industriais:: os efeitos transformadores da cultura da mídia. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 24, 2021. DOI: 10.5216/ci.v24.62550. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/62550. Acesso em: 23 maio. 2022.