Um mito da ópera e a Escola de Frankfurt - O filme Callas Forever à luz da polêmica entre Theodor Adorno e Walter Benjamin

Autores

  • Sônia Pedrosa Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

DOI:

https://doi.org/10.5216/c&i.v7i2.24400

Palavras-chave:

Cinema. Arte. Tecnologia. Indústria cultural.

Resumo

O embate de idéias entre pensadores da Escola de Frankfurt reaparece no filme Callas Forever. Elementos da crítica à indústria cultural feita por Adorno & Horkheimer estão presentes na trama, assim como pontos da polêmica com Wálter Benjamin. Enquanto os primeiros defendiam a arte tradicional, que consideravam séria e autônoma, Benjamin simpatizava com as novas formas de artes tecnológicas - como o cinema - que, para ele, teriam caráter libertador. Na metanarrativa Callas Forever, a autenticidade da arte como "dom divino" - privilégio daqueles que têm a singularidade do gênio, como Maria Callas - entra em conflito com o produto filme da indústria cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sônia Pedrosa, Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Especialista em Comunicação pela UERJ.

Downloads

Publicado

2013-05-29

Como Citar

PEDROSA, S. Um mito da ópera e a Escola de Frankfurt - O filme Callas Forever à luz da polêmica entre Theodor Adorno e Walter Benjamin. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 7, n. 2, p. 204–211, 2013. DOI: 10.5216/c&i.v7i2.24400. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/24400. Acesso em: 24 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos