Afinal, o que é gênero em comunicação? O consumo da programação midiática televisiva

Autores

  • Diana Gualberto de Macedo Escola Superior de Propaganda e Marketing.
  • Maria Aparecida Baccega Escola Superior de Propaganda e Marketing

DOI:

https://doi.org/10.5216/c&i.v13i1.19288

Palavras-chave:

Comunicação. Consumo. Gênero. Programação televisiva.

Resumo

Pretende-se neste artigo refletir sobre o conceito de gênero no campo da comunicação e, pensar sobre ele enquanto propulsor do consumo midiático televisivo, principalmente com relação ao consumo dos programas que circulam na televisão. Destacar-se-á, no decorrer do artigo, a importância dos gêneros enquanto mediadores do processo comunicacional, que por sua vez envolve tanto emissores/produtores, quanto receptores/consumidores. Além disso, abordar-se-á sobre a relação dos gêneros com os estereótipos, ou seja, ao mesmo tempo em que organizam o pensamento do sujeito, limitam a sua visão. E, essa limitação, ou “ultrageneralização necessária”, nas palavras de Agnes Heller (1972), pode acabar se “transformando” num preconceito, porém nem sempre deve ser vista como algo negativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diana Gualberto de Macedo, Escola Superior de Propaganda e Marketing.

Mestre em Comunicação e Práticas de Consumo pela Escola Superior de Propaganda e Marketing e graduada em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal do Paraná.

Maria Aparecida Baccega, Escola Superior de Propaganda e Marketing

Docente do programa de Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo pela Escola Superior de Propaganda e Marketing e livre docente em Comunicação pela Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

2012-07-16

Como Citar

MACEDO, D. G. de; BACCEGA, M. A. Afinal, o que é gênero em comunicação? O consumo da programação midiática televisiva. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 13, n. 1, p. 58–68, 2012. DOI: 10.5216/c&i.v13i1.19288. Disponível em: https://revistas.ufg.br/ci/article/view/19288. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos