O Pensar dramatúrgico como chave para descentralizar a criação coreográfica do estúdio de dança.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ac.v7i1.68645

Resumo

A poética diversificada da dança contemporânea tem possibilitado o desenvolvimento de uma ampla gama de investigações acerca do processo criativo nesta prática estética. Dentre elas reside um questionamento sobre as atividades corporais realizadas pelos dançarinos para treinar ou preparar o corpo para a criação. Este artigo faz parte deste universo, priorizando as práticas que estão além do trabalho técnico e criativo centralizadas dentro do estúdio de dança. A partir da análise de um processo de criação de um solo em dança contemporânea, este artigo descreve e analisa as atividades de preparação corporal e de sensibilização poética realizadas pela intérprete-criadora em seu cotidiano e o como estas influenciaram a dramaturgia da criação. Concluímos que é através do pensamento dramatúrgico e sua prática de organizar as intensidades e energias geradas nos trabalhos corporais da performer que a coreografia é elaborada. Assim, a discussão realizada ao longo do artigo associada ao pensamento de Behrndt (2016), Scialom e Fabrini (2019), Gouveia (2012), Ostrower (2014) e Louppe (2012), defende a descentralização do processo criativo do estúdio de dança para incluir o cotidiano da artista-criadora como constituinte da criação, evidenciando os procedimentos utilizados para tal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Melina Scialom, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, Brasil.

Melina Scialom é performer, dramaturga e pesquisadora da dança. Atualmente é pesquisadora visitande do PPGAC UFBA (bolsa Capes-Print). É pós-doutora pelo PPG Artes da Cena, UNICAMP, foi professora colaboradora do Departamento de Artes Cênicas, UNICAMP, pesquisadora visitante na Universidade de Utrecht, Holanda (2017/18) e Concordia, Canadá (2020). Doutora em Dança (Universidade de Roehampton, Londres), Especialista em Estudos Coreológicos (Trinity Laban, Londres), Mestre em Artes Cênicas (UFBA), Bacharel e Licenciada em Dança (UNICAMP). É fundadora e diretora artística do núcleo de dança Maya-Lila que desde 2005 se dedica à criação em dança mesclando com as linguagens do circo, artes visuais, live-art, e tecnologias digitais. Sua recente pesquisa está sobre a prática da dramaturgia na dança sob o viés do bailarino, ator e performer Concomitantemente vem trabalhando com dramaturgia de espetáculos de dança e teatro físico e preparação corporal para dançarinos, atores e músicos. Melina é autora do livro Laban Plural (Summus, 2017).

Isabela Berto Tescarollo, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, Brasil.

Performer, pesquisadora da dança e instrutora de Yoga, formada no Bacharelado em Dança pela UNICAMP (2020). Foi bolsista de Iniciação Científica pelo CNPq com orientação da Profa.Dra. Holly Elizabeth Cavrell (2017) e pela FAPESP (processo 2018/13636- 4) sob orientação das professoras doutoras Melina Scialom e Verônica Fabrini (2019). Atuou como intérprete no grupo Meandros de dança contemporânea da Faculdade de Educação Física da UNICAMP de 2017 a 2019. Em 2020, desenvolveu o projeto “corpo, quase, casa”, contemplado pelo Edital Aluno-Artista (SAE/PRG-UNICAMP) e foi contemplada pelo prêmio FUNARTE Respirarte 2020 com a videodança “may 2020”.

Referências

BEHRNDT, Synne K. Dança, dramaturgia e pensamento dramatúrgico. IN: CALDAS, Paulo; GADELHAS, Ernesto (org.). Dança e Dramaturgia(s). São Paulo: Nexus, 2016. 312 p., p.243-267.

BANES, Sally. Terpsichore in Sneakers: Post-Modern Dance, Boston: Houghton Mifflin. 1980.

BERNARD, Michel. Les nouveaux codes corporels de la danse contemporaine. In: PIDOUX, Jean-Yves (Org.). La danse, art du XX siècle. Lausane: Payot Lausanne, 1990, p. 68-76.

BURROWS, Jonathan. A choreograper’s handbook. London e New York: Routledge, 2010.

DÓRIA, Gisela. Entrelaçando Fios: Possíveis Eixos Dramatúrgicos na Dança Contemporânea. Art Research Journal / Revista de Pesquisa em Artes, v. 3, n. 2, p. 194-208, 18 dez. 2016. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/9549. Acesso em 20/10/2020.

FERNANDES, Ciane. O corpo em movimento: o sistema Laban/Bartenieff na formação e pesquisa em artes cênicas. 2. ed. rev. São Paulo: Annablume, 2006.

____________________. Entre impulso e estrutura: Análise em movimento e videodocumentário no processo criativo em dança-teatro. In: NAVAS, Cássia; ISAACSSON, Marta, FERNANDES, Sílvia, org. Ensaios em Cena. São Paulo: Cetera, 2010, pp.82-93.

FERRACINI, Renato. A arte de não interpretar como poesia corpórea do ator. Dissertação (Mestrado em Artes da Cena) Campinas: Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena, Instituto de Artes/Universidade Estadual de Campinas, 1998.

GIL, José. A imagem-nua e as pequenas percepções: estética e metafenomenologia. 2. ed. Lisboa: Relógio D’Água, 2005.

GILPIN, Heidi. “Formando espaços críticos: questões da dramaturgia da performance de movimento”. IN: CALDAS, Paulo; GADELHAS, Ernesto (org.). Dança e Dramaturgia(s). São Paulo: Nexus, 2016, p. 137-147.

GOUVÊA, Raquel Valente de. A improvisação de dança na (trans) formação do artista-aprendiz: uma reflexão nos entrelugares das artes cênicas, filosofia e educação. Tese (Doutorado em Educação). Campinas: Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação/Universidade Estadual de Campinas, 2012.

GREINER, Christine e AMORIM, Claudia (eds). Leituras do Corpo. São Paulo: Annablume, 2003.

CAVRELL, Holly Elizabeth. Dando corpo à história. Curitiba, PR: Prismas, 2015.

ESTES, Clarissa Pinkola. Mulheres que correm com os lobos: mitos e histórias do arquétipo da mulher selvagem. Rio de Janeiro, RJ: Rocco, 2014.

LABAN, Rudolf. O Domínio do Movimento. São Paulo: Summus, 1978.

LOUPPE, Laurence. Poética da dança contemporânea. Lisboa: Orfeu Negro, 2012.

LISPECTOR, Clarice. Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

MAGALHÃES, Carolina de Pinho Barroso. O Corpo Limiar e a Passagem de Impulsos como elementos de Precisão Cênica: processos criativos entre a Dança e o Teatro de Jerzy Grotowski. Dissertação (Mestrado) – Ouro Preto Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas, Departamento de Artes Cênicas/Universidade Federal de Ouro Preto, 2017.

MILLER, Jussara. Qual é o corpo que dança?: Dança e educação somática para adultos e crianças. São Paulo: Summus, 2012.

MUNDIM, Ana Carolina da Rocha. Danças Brasileiras Contemporâneas: um Caleidoscópio. São Paulo: Annablume, 2013.

OSTROWER, Fayga. Criatividade e Processos de Criação. Rio de Janeiro: Editora Vozes 1977.

QUILICI, Cassiano Sydow. As ‘técnicas de si’ e a experimentação artística. Revista do Lume: Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais – Unicamp, Campinas, v. 2, p.1-8, Nov. 2011. Disponível em: https://www.cocen.unicamp.br/revistadigital/index.php/lume/article/view/171/163. Acesso em 14/07/2018.

ROCHA, Thereza. O que é dança contemporânea? A narrativa de uma impossibilidade. Ensaio Geral, Belém, v. 5, n. 3, p.121-131, Jun. 2011.

SANCHEZ-COLBERG, Ana; PRESTON-DUNLOP, Valerie (eds). Dance and the performative: a Choreological Perspective: Laban and Beyond. Hampshire: Dance, 2010.

SCIALOM, Melina. Laban Plural: Arte do Movimento, Pesquisa e Genealogia da Práxis de Rudolf Laban no Brasil. São Paulo: Summus, 2017.

SCIALOM, Melina e FABRINI, Verônica Dramaturgia na dança: Manipulação de Energia no Processo. Revista Cena, n. 29, p. 100-112, 2019. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/cena/article/view/92755. Acesso em 29/01/2020.

SOARES, Maitê Neris de Lacerda. Lá fora: investigações e experimentações em dança. Dissertação (Mestrado em Artes da Cena) Campinas: Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena, Instituto de Artes/Universidade Estadual de Campinas, 2016.

SPATZ, Ben. What a Body Can Do: Technique as Knowledge, Practice as Reserach. London and New York: Routledge, 2015.

VIERA, Valquíria Moura. Criação dramatúrgica: Uma Travessia do Procedimento à Cena. Dissertação (Mestrado em Artes da Cena) Campinas: Programa de Pós-Graduação em Artes da Cena, Instituto de Artes/Universidade Estadual de Campinas, 2012.

Downloads

Publicado

29-07-2021

Como Citar

Scialom, M., & Berto Tescarollo, I. (2021). O Pensar dramatúrgico como chave para descentralizar a criação coreográfica do estúdio de dança. Arte Da Cena (Art on Stage), 7(1), 253–279. https://doi.org/10.5216/ac.v7i1.68645

Edição

Seção

Dossiê Temático - Eixo 3: Dramaturgias