O que pode o figurino na dança?

Autores

Resumo

Trata-se de um ensaio sobre o figurino na dança moderna. Neste, questionamos o que veste o corpo que dança e a reflexão se dá no figurino da dança moderna por achar que tal elemento em um determinado período da história da dança contribuiu para se pensar em um novo estilo de dança, em um novo paradigma de corpo. O texto objetiva compreender como a estética do figurino contribui para o movimento dançado na cena de dança e parte de uma abordagem metodológica da análise de imagens. Na reflexão compreendeu-se que a partir das imagens analisadas o figurino figura como um sistema integrador na representação; o espectador, além da dança, aprecia-os como ponto de refer~encia, como sinalizador dessa representação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcilio Souza Vieira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

Professor do Rede Pública de ensino do munícipio de Natal, graduado em Artes Cênicas e Educação Física, Mestre em Educação e DOutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação, UFRN. Membro pesquisador do Grupo de Pesquisa Corpo e Cultura de Movimento

Referências

BARIL, J. La Danza Moderna. Barcelona: Paidós, 1987.

LEITE, Miriam Lifchitz Moreira. Texto visual e texto verbal. In: FELDMAN-BIANCO; LEITE (org.). Desafios da Imagem. Campinas, São Paulo: Papirus, 1998.

COLLECTIF, RM. Loïe Fuller: Danseuse de l’art nouveau. Paris,2002.

CURRENT, Márcia Ewing; CURRENT, Richard Nelson. Loïe Fuller. London: Ed. Northeastern University, 1997.

DUNCAN, Isadora. Minha vida. Tradução de Gastão Cruls. Rio de Janeiro; José Olympio Editora, 1986.

GRAHAM, Martha. Memória do sangue: uma auto biografia. Tradução de Cláudia Martinelli Gama. São Paulo: Siciliano, 1993.

GARAUDY, Roger. Dançar a vida. Tradução de Glória Mariani e Antônio Guimarães Filho. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 1980.

MAUSS, Marceu. Sociologia e antropologia. São Paulo: Edusp, 1974.

PAVIS, Patrice. Análise dos espetáculos. São Paulo: Perspectiva, 2005.

PIMENTEL, L. C. M. El cuerpo híbrido en la danza: transformaciones en el lenguaje coreográfico a partir de las tecnologías digitales. Análisis teórico y propuestas experimentales. Valencia: UPV, 2008. Tese Doutorado em Artes Visuais. Faculdade de Belas Artes, Universidade Politécnica de Valência, 2008. Disponível em: http://dspace.upv.es/manakin/handle/102 51/3838. Acesso em: (01/03/2012).

SOUZA, Aguinaldo Moreira de. Palavra do corpo: confluência de linguagens em night journey. Revista Trans/Form/Ação, São Paulo, 24: 163-181, 2001.

SPOLADORE, Bruna. Loie Füller: aproximações entre corpo-imagem e cinema de corpo. Anais do II Congresso Nacional de Pesquisadores em Dança – ANDA, julho/2012.

SUQUET, Annie. O corpo dançante: um laboratório da percepção. In: CORBIN, Alain; courtine, Jean-Jacuqes; VIGARELLO, Georges. História do corpo: as mutações do olhar. O século XX. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

Downloads

Publicado

2015-12-31

Como Citar

VIEIRA, M. S. O que pode o figurino na dança?. Arte da Cena (Art on Stage), Goiânia, v. 2, n. 1, p. 97–108, 2015. Disponível em: https://revistas.ufg.br/artce/article/view/36276. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Temas Variados