MÉTODO DE OBTENÇÃO DE MATÉRIA SECA E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE VOLUMOSOS

Autores

  • Antonio Vinicius Iank Bueno Universidade Estadual de Maringá
  • Cloves Cabreira Jobim Universidade Estadual de Maringá
  • Matheus Gonçalves Ribeiro Universidade Estadual de Maringá
  • Janaina Prieto de Oliveira Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.1590/cab18044913

Palavras-chave:

estufa, micro-ondas, parede celular

Resumo

Objetivou-se avaliar a influência do método de secagem sobre a composição nutricional de diferentes volumosos. Foram utilizadas quatro gramíneas (Urochloa brizantha cv. Marandu, Urochloa brizantha cv. MG4, Cynodon dactylon cv. Coastcross e Panicum maximum cv. Áries), uma leguminosa forrageira, o estilosante (Stylosanthes cv. Campo Grande) e duas silagens (Zea mays e Triticum aestivum cv. BRS Umbu). Os métodos de secagem se basearam no uso da estufa de ventilação forçada e de forno de micro-ondas. O delineamento estatístico utilizado foi um arranjo fatorial 2 x 8 (2 métodos de secagem e 8 volumosos) com 4 repetições. O método de secagem não influenciou o conteúdo de matéria seca das forragens. A secagem em forno micro-ondas elevou os teores de fibra em detergente neutro nos volumosos avaliados. Houve interação entre o método de secagem e tipo de forragem avaliada, com relação à proteína bruta (estilosante), extrato etéreo (MG4, estilosante e Áries) e nitrogênio insolúvel em detergente neutro (Coastcross, MG4, Marandu e estilosante). O forno de micro-ondas pode ser utilizado como instrumento para obtenção da matéria seca em alimentos volumosos, porém, a técnica pode afetar a composição da forragem avaliada. 
Palavras-chaves: estufa; micro-ondas; parede celular; proteína bruta; extrato etéreo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Vinicius Iank Bueno, Universidade Estadual de Maringá

Graduado em Medicina Veterinária (Universidade Estadual do Centro-Oeste), Mestrado em Zootecnia (Universidade Estadual de Maringá).

Downloads

Publicado

2017-11-03

Como Citar

IANK BUENO, A. V.; CABREIRA JOBIM, C.; GONÇALVES RIBEIRO, M.; PRIETO DE OLIVEIRA, J. MÉTODO DE OBTENÇÃO DE MATÉRIA SECA E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE VOLUMOSOS. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 18, 2017. DOI: 10.1590/cab18044913. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/e-44913. Acesso em: 26 fev. 2024.

Edição

Seção

ZOOTECNIA