PERSISTÊNCIA DE STAPHYLOCOCCUS COAGULASE-NEGATIVOS EM GLÂNDULAS MAMÁRIAS DE OVELHAS COM MASTITE SUBCLÍNICA APÓS O TRATAMENTO ANTIMICROBIANO À SECAGEM

Autores

  • Luiz Francisco Zafalon Embrapa Pecuária Sudeste - São Carlos-SP http://orcid.org/0000-0002-4645-3588
  • Maria de Lourdes Ribeiro de Souza da Cunha Instituto de Biociências. Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Botucatu - SP
  • Danilo Flávio Moraes Riboli Doutorando - Instituto de Biociências. Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Botucatu - SP
  • Lucas Eduardo Pilon Doutorando - Medicina Veterinária Preventiva - Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Jaboticabal-SP

DOI:

https://doi.org/10.1590/cab18044328

Palavras-chave:

bacteriologia, glândula mamária, leite ovino, métodos de controle da mastite.

Resumo

Staphylococcus coagulase-negativos (SCN) são os principais micro-organismos responsáveis pela mastite ovina e o tratamento ao final da lactação pode ser usado como método de controle contra a doença. Porém, o longo período seco apresentado pelas ovelhas em alguns sistemas de criação pode prejudicar os efeitos positivos do tratamento antimicrobiano. Os objetivos deste trabalho foram identificar as principais espécies de SCN na etiologia da mastite ovina antes e após o tratamento ao final da lactação das ovelhas, bem como investigar a persistência das espécies mais prevalentes na glândula mamária na lactação seguinte. Sessenta ovelhas foram divididas em dois grupos experimentais, um deles formado por animais sem tratamento antimicrobiano, enquanto o outro era composto por ovelhas cujas metades mamárias foram tratadas com cloxacilina-benzatina por via intramamária. As amostras de leite foram obtidas antes da secagem e aos 15 e 30 dias após o parto da lactação seguinte. As espécies prevalentes foram S. warneri, S. simulans S. epidermidis. Clones das três espécies de maior ocorrência foram identificados antes e depois do tratamento, ou seja, mesmo com o extenso período seco entre as duas lactações consecutivas, os micro-organismos ainda foram identificados no interior da glândula mamária.
Palavra-chave: bacteriologia; glândula mamária; leite ovino; métodos de controle da mastite.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-10-26

Como Citar

ZAFALON, L. F.; CUNHA, M. de L. R. de S. da; RIBOLI, D. F. M.; PILON, L. E. PERSISTÊNCIA DE STAPHYLOCOCCUS COAGULASE-NEGATIVOS EM GLÂNDULAS MAMÁRIAS DE OVELHAS COM MASTITE SUBCLÍNICA APÓS O TRATAMENTO ANTIMICROBIANO À SECAGEM. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 18, 2017. DOI: 10.1590/cab18044328. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/e-44328. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

MEDICINA VETERINÁRIA