RESISTÊNCIA À VERMINOSE E SUPLEMENTAÇÃO PROTEICA NO PERIPARTO: EFEITO NO PARASITISMO E NO DESEMPENHO REPRODUTIVO DE OVELHAS DO GRUPAMENTO RACIAL PANTANEIRO

Autores

  • Luis Henrique Fernandes
  • João Batista Catto CNPGC/EMBRAPA
  • Fernando Alvarenga Reis
  • Gelson Luis Dias Feijó
  • Nilton Gabriel Paiva Guimarães
  • Jose Alexandre Agiova da Costa

DOI:

https://doi.org/10.1590/cab18041627

Palavras-chave:

Ovinos pantaneiros, índices produtivos, ganho de peso, nematódeos gastrintestinais.

Resumo

Os objetivos do trabalho foram avaliar o efeito do grau de resistência à verminose e da suplementação proteica nos índices reprodutivos e no parasitismo em ovelhas do grupamento racial Pantaneiro. As ovelhas foram classificadas pelo número de ovos de nematodas por grama de fezes (OPG) como resistentes (RR), sensíveis (SS) e intermediárias (RS), e submetidas (SUPL) ou não (NSUPL) à suplementação durante o terço final da gestação e na lactação. Em dois ciclos reprodutivos, a cada 28 dias, as ovelhas foram pesadas e tratadas com anti-helmínticos quando o OPG apresentava-se ? 4000. O peso das ovelhas não foi influenciado pelo grau de resistência aos nematódeos e a suplementação teve efeito no peso somente no período em que foi ofertada. As taxas de natalidade e de desmame não foram influenciadas pelo grau de resistência e pela suplementação. A taxa de mortalidade de crias foi menor no grupo SUPL. A taxa de mortalidade de ovelhas foi três vezes mais elevada no grupo SS em relação ao grupo RR e o peso das crias foi menor no grupo SS em relação aos grupos RR e RS. Os três grupos mostraram picos no OPG durante o terço final da gestação, mas as médias foram sempre menores no grupo RR que, no geral, necessitaram 2,5 vezes menos tratamentos anti-helmínticos que as SS. A suplementação não apresentou correlação com o OPG e com o número de tratamentos anti-helmínticos. A classificação de ovelhas pelo OPG em resistentes aos nematodas proporcionou menor número de tratamentos anti-helmínticos, menor taxa de mortalidade de ovelhas e peso maior das crias ao nascimento.
Palavras-chave: índices produtivos; ganho de peso; nematódeos gastrintestinais; ovinos pantaneiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-08-30

Como Citar

FERNANDES, L. H.; CATTO, J. B.; REIS, F. A.; FEIJÓ, G. L. D.; GUIMARÃES, N. G. P.; COSTA, J. A. A. da. RESISTÊNCIA À VERMINOSE E SUPLEMENTAÇÃO PROTEICA NO PERIPARTO: EFEITO NO PARASITISMO E NO DESEMPENHO REPRODUTIVO DE OVELHAS DO GRUPAMENTO RACIAL PANTANEIRO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 18, 2017. DOI: 10.1590/cab18041627. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/e-41627. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

MEDICINA VETERINÁRIA