Apreensão de produtos de origem animal ilegais em bagagem de voos internacionais no aeroporto de São Paulo - Guarulhos (GRU / SBGR)

Autores

  • Cristiano Barros de Melo Universidade de Brasilia (UnB) - Laboratório de Doenças Infecciossas de Notificação Obrigatória (LABDINO/FAV).
  • Bruno Benin Belo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Nova Xavantina, Mato Grosso, Brasil, brunobelo25@unb.br
  • Marcos Eielson Pinheiro de Sá Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Secretaria de Defesa Agropecuaria, Brasília, Distrito Federal, Brasil, marcossa@agricultura.gov.br
  • Concepta Margareth McManus Pimentel Universidade de Brasília (UnB), Brasília, Distrito Federal, Brasília, concepta@unb.br http://orcid.org/0000-0002-1106-8962
  • Luiza de Souza Seixas Melo Universidade de Brasília (UnB), Brasília, Distrito Federal, Brasil, luizasseixas@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.1590/cab19039744

Resumo

O transporte aéreo é um dos meios mais importantes de introdução ilegal de produtos de origem animal importados em um país e estudos têm demonstrado que esses itens representam um risco para a disseminação de doenças. O Aeroporto Internacional de São Paulo - Guarulhos (GRU / SBGR) é o principal aeroporto internacional no Brasil em termos de movimento de pessoas e tem o maior número de produtos de origem animal apreendidos. O objetivo do presente trabalho é realizar análise descritiva da dinâmica de apreensão de produtos de origem animal importados ilegalmente em bagagens de passageiros de voos internacionais no Aeroporto GRU / SBGR. Foram analisados 589 diferentes voos de 43 companhias aéreas, que chegaram de 117 países entre 2006 e 2009. O montante total de itens apreendidos aumentou entre 2006 a 2009 e um voo da França teve o maior número de apreensões, seguido de voos da África do Sul e Alemanha. Países foram agrupados em regiões ou continentes para facilitar a análise. Este agrupamento foi baseado em laços históricos e culturais em vez de relações geográficas. Frutos do mar foi o tipo de produto mais apreendido, seguido por produtos lácteos e carnes processadas e cruas. 
Palavras-chave: alfândega; alimentos importados ilegalmente; saúde animal; saúde pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Barros de Melo, Universidade de Brasilia (UnB) - Laboratório de Doenças Infecciossas de Notificação Obrigatória (LABDINO/FAV).

Bruno Benin Belo, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Nova Xavantina, Mato Grosso, Brasil, brunobelo25@unb.br

Marcos Eielson Pinheiro de Sá, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Secretaria de Defesa Agropecuaria, Brasília, Distrito Federal, Brasil, marcossa@agricultura.gov.br

Concepta Margareth McManus Pimentel, Universidade de Brasília (UnB), Brasília, Distrito Federal, Brasília, concepta@unb.br

Luiza de Souza Seixas Melo, Universidade de Brasília (UnB), Brasília, Distrito Federal, Brasil, luizasseixas@gmail.com

Publicado

2018-04-25

Como Citar

BARROS DE MELO, C.; BENIN BELO, B.; EIELSON PINHEIRO DE SÁ, M.; MARGARETH MCMANUS PIMENTEL, C.; DE SOUZA SEIXAS MELO, L. Apreensão de produtos de origem animal ilegais em bagagem de voos internacionais no aeroporto de São Paulo - Guarulhos (GRU / SBGR). Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 19, p. 1–9, 2018. DOI: 10.1590/cab19039744. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/e-39744. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

MEDICINA VETERINÁRIA