INFLUÊNCIA DOS NÍVEIS DE CO2 E DO TIPO DE INCUBADORA SOBRE O DESEMPENHO ZOOTÉCNICO E MORFOMETRIA CARDÍACA DE FRANGOS DE CORTE

Palavras-chave: desempenho produtivo, embrião, hipercapnia, hipóxia

Resumo

O objetivo do trabalho foi avaliar incubadoras de estágio múltiplo e único e diferentes níveis de CO2 sobre o desempenho, número e diâmetro das fibras musculares, morfometria cardíaca e rendimento de carcaça de frangos de corte. Foram incubados 2.520 ovos férteis em um delineamento inteiramente ao acaso, distribuídos em quatro níveis de CO2 (4.000, 6.000, 8.000 e 10.000ppm) em incubadoras de estágio único durante os primeiros dez dias de incubação e um tratamento controle utilizando uma incubadora de estágio múltiplo, totalizando cinco tratamentos com 504 ovos em cada um. Após a eclosão, 1.050 pintos machos foram alojados de acordo com o delineamento utilizado no incubatório. A hipercapnia aplicada nos primeiros 10 dias de incubação afetou o ganho de peso e a conversão alimentar dos pintos na primeira semana de vida, no entanto, esses efeitos não foram mantidos até o final do período de criação. Não houve efeito de incubadoras ou da hipercapnia sobre a morfometria muscular e cardíaca. Houve maior rendimento de coxas das aves na idade de abate oriundas de incubadoras em estágio único com até 6.000 ppm de CO2, quando comparadas à incubação em máquinas de estágio múltiplo. Esse efeito pode ser atribuído à maior vascularização induzida pela hipercapnia precoce.
Palavras-chave: desempenho produtivo, embrião, hipercapnia, hipóxia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jovanir Ines MUller Fernandes, Universidade Federal do Paraná

Departamento de Zootecnia

Área de produção e nutrição de aves

Anete Rorig, Universidade Federal do Parana
Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal - Setor Palotina - UFPR
Camila de Souza Oro, Universidade Federal do Parana
Aluna do Curso de Graduação em Medicina Veterinária - Setor Palotina - UFPR
Daiane Horn, Universidade Federal do Parana
Aluna do Curso de Graduação em Medicina Veterinária - Setor Palotina - UFPR
Heloísa Laís Fialkowski Bordignon, Universidade Federal do Paraná
Aluna do Curso de Graduação em Medicina Veterinária - Setor Palotina - UFPR
Janaína Furlanetto de Mello, Universidade Estadual de Maringa
Mestranda do Programa de Pós Graduação em Zootecnia - Universidade Estadual de Maringa
Publicado
18-01-2019
Como Citar
Fernandes, J., Rorig, A., Oro, C., Horn, D., Bordignon, H., & de Mello, J. (2019). INFLUÊNCIA DOS NÍVEIS DE CO2 E DO TIPO DE INCUBADORA SOBRE O DESEMPENHO ZOOTÉCNICO E MORFOMETRIA CARDÍACA DE FRANGOS DE CORTE. Ciência Animal Brasileira, 20(1), 1-11. Recuperado de https://revistas.ufg.br/vet/article/view/e-35197
Seção
ZOOTECNIA