RECUPERAÇÃO DE OÓCITOS EQÜINOS COM Cumulus oophorus COMPACTO POR CURETAGEM DA PAREDE FOLICULAR

Autores

  • Bruna da Rosa Curcio
  • Friedrich Frey Jr.
  • André Luis Nunes Boff
  • Priscila Marques Moura de Leon
  • Luciana Araújo Lins
  • Luís Pedro Albuquerque
  • Gissele Rambo
  • Carlos Eduardo Wayne Nogueira
  • João Carlos Deschamps

Resumo

Este trabalho teve como objetivo determinar a eficiência da técnica de curetagem da parede folicular (scraping) para a obtenção de complexos Cumulus oophorus compactos, bem como descrever as etapas do processo. Submeteram-se ovários eqüinos coletados em abatedouro à dissecação da túnica albugínea, para identificação e individualização dos folículos com diâmetro entre 10 e 30 mm. Esses foram abertos individualmente em placa de Petri e, posteriormente, realizou-se raspagem da camada granulosa com auxílio de cureta e exame do líquido folicular em lupa estéreo-microscópica. Classificaram-se os oócitos quanto à integridade do ooplasma e as características das células do Cumulus oophorus. De um total de 527 ovários dissecados, obtiveram-se 3,5 folículos/ovário e uma média de 2,5 oócitos/ovário, compreendendo uma taxa de recuperação de 71,0% (oócitos/folículos), sendo 70,2% classificados como Cumulus oophorus compactos e ooplasma homogêneo. A média de oócitos Cumulus oophorus compactos por ovário foi de 1,7. A utilização da curetagem da camada granulosa de folículos entre 10 e 30 mm de diâmetro comprovou ser satisfatória para a obtenção de um elevado percentual de oócitos eqüinos com Cumulus oophorus compacto,o que é adequados para estudos de maturação in vitro. PALAVRAS-CHAVE: Curetagem da parede folicular, maturação in vitro, oócitos eqüinos, scraping.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-12-25

Como Citar

CURCIO, B. da R.; FREY JR., F.; BOFF, A. L. N.; LEON, P. M. M. de; LINS, L. A.; ALBUQUERQUE, L. P.; RAMBO, G.; NOGUEIRA, C. E. W.; DESCHAMPS, J. C. RECUPERAÇÃO DE OÓCITOS EQÜINOS COM Cumulus oophorus COMPACTO POR CURETAGEM DA PAREDE FOLICULAR. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 7, n. 4, p. 417–422, 2006. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/871. Acesso em: 24 set. 2022.

Edição

Seção

Medicina Veterinária